"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

segunda-feira, outubro 31, 2011

Estrago poderia ter sido bem maior, afirma testemunha


Parente de uma das vítimas estava no bar e disse que não ocorreram mais mortes no local porque clientes se esconderam

ALINE GONÇALVES



Familiares dos três mortos nos ataques a tiros que deixou ainda 12 feridos nos bairros Glória e São Salvador, na região Noroeste da capital, estiveram ontem no Instituto Médico Legal (IML) e ainda estavam abalados com a tragédia. Chorando muito, parentes de Leonardo José de Souza, 20, deixaram o local por volta das 14h.

Um familiar, que pediu para não ter o seu nome divulgado, contou que também estava no bar onde os três rapazes morreram e deu detalhes sobre o tiroteio. "Ele já chegou disparando. Só deu tempo de tentar me proteger", revelou sem saber quantos ou quem eram os autores.

Segundo ele, na hora dos tiros, o estabelecimento comercial estava lotado e só não houve mais vítimas porque muitas pessoas se abaixaram. Ele revelou ainda que o jovem de 17 anos foi reconhecido imediatamente por pessoas que estavam no local, já que não usava nenhum tipo de máscara para esconder o rosto. "Eu não o conhecia, mas muitas pessoas o identificaram", contou.
O parente contou também que Leandro de Castro Moraes, de 27 anos, que faleceu horas depois no Hospital João XXIII, percebeu a gravidade de seu estado após ser atingido pelo tiro. "Na hora ele disse que ia morrer, que já sabia". A terceira vítima, Brainer Gomes Martins, de 19, era amigo dos outros jovens assassinados. Ele não frequentava o bairro havia seis meses.

Na manhã de ontem, o bar onde aconteceu o tiroteio funcionou normalmente. Testemunhas que sobreviveram ao crime ainda estavam assustadas. Uma dona de casa de 42 anos, que pediu para não ter o seu nome revelado, disse que, antes de o menor atirar, uma jovem que estaria na companhia dele teria entrado no bar para comprar cigarros. "Como não havia a marca que ela queria, a dona do bar foi buscar no estoque. Quando saiu, começaram os tiros", contou.
Segundo a Polícia Civil, Leandro Moraes deve ser enterrado hoje, no Cemitério da Paz, no bairro Caiçara.

Até o início da noite de ontem, os familiares das outras duas vítimas ainda não haviam decidido os locais dos sepultamentos.

Fonte: www.otempo.com.br

MENOR JÁ TEM FICHA EXTENSA


Dono de boca de fumo já foi apreendido 4 vezes

RICARDO VASCONCELOS



O adolescente de 17 anos, suspeito de comandar os ataques, na noite do último sábado no bairro Glória, é um velho conhecido da Polícia Militar.

Segundo o comandante do 34° BPM, tenente coronel Idzel Fagundes, nos últimos dois anos, o menor foi apreendido quatro vezes por envolvimento com o tráfico de drogas.

"Ele morou na casa que incendiou. Lá, montou uma boca de fumo, desarticulada por operações da PM. Não sabemos porque ele atacou o local. Pode ser para retomar o ponto de venda de drogas, mas não podemos afirmar nada. Ainda estamos apurando o que aconteceu".

Segundo os moradores da região, a casa fica num terreno onde há mais oito moradias. O adolescente deixou o endereço há cerca de seis meses. Durante o período em que morou no local, foi alvo de ataques de traficantes rivais. Marcas de tiros estão espalhadas no portão e no muro do imóvel.

"É um bandidinho, mequetrefe e covarde. Será preso nas próximas horas ou nos próximos dias.Não aceitamos um fato como esse. Precisa de informação, pode demorar um, dois dias, vai ficar rastreando até prender. Não vamos baixar a guarda. Vamos procurar em todos os locais e apreendê-lo" garantiu Fagundes.

Fonte:www.otempo.com.br

Carnificina em BH

Bando chefiado por menor de 17 anos fez três ataques em menos de uma hora, deixando três mortos e 12 feridos.

RICARDO VASCONCELOS
falesuper@supernoticia.com.br

Um ataque em série de um grupo armado e liderado por um adolescente de 17 anos deixou um rastro de morte e destruição na noite de anteontem nos bairros São Salvador e Glória, na região Noroeste da capital. O ato bárbaro do bando terminou com três pessoas mortas, 12 feridas, entre elas uma menina de 2 anos, e uma casa incendiada. A criança, de acordo com os familiares, corre o risco de ficar paraplégica.

Segundo a polícia, uma das hipóteses para os crimes seria a vingança pela morte do irmão do menor. O jovem foi assassinado por uma moradora da região. A suposta autora do crime seria a irmã de uma das vítimas mortas durante os atentados. Outra linha de investigação é a disputa por pontos de venda de drogas no bairro São Salvador.

A sequência de crueldade passou por três endereços diferentes e com os suspeitos atirando contra quem estivesse na frente. As vítimas foram atacadas em um intervalo de menos de uma hora. Conforme o 34° Batalhão da Polícia Militar, os primeiros disparos aconteceram por volta de 21h30 de sábado, em uma lanchonete do bairro Glória. Os criminosos chegaram ao local a pé e atiraram, acertando quatro pessoas. "Estava em casa quando ouvi os tiros. Quando saí, na rua encontrei os homens caídos e as pessoas gritando", disse uma vendedora.

O segundo destino escolhido pelos atiradores foi um bar no mesmo bairro. O grupo seguiu em um Palio até o local e reiniciou os ataques que deixariam três mortos. Segundo uma testemunha, apenas um homem do bando desceu do carro e disparou contra as vítimas. Leandro Castro Moraes, de 27 anos, e Leonardo José de Souza, de 20, que conversavam em pé na calçada, morreram após serem atingidos.

Em seguida, o atirador apontou o revólver para os clientes em uma mesa e disparou. Três pessoas foram feridas e uma delas, Brainer Gomes Martins, de 19, acabou morrendo no HPS João XXIII, na madrugada de ontem. "Acredito que ele quis se vingar do Leonardo que é irmão da autora do assassinato do irmão do menor", disse um policia.

A última incursão do bando foi em um conjunto de nove casas no bairro São Salvador, onde o adolescente de 17 anos teria morado há quatro meses. O menor chegou ao local na companhia de um primo, conhecido como Igor. Seis pessoas de uma mesma família estavam em casa quando os tiros voltaram a ser disparados pelos assassinos. Cinco vítimas ficaram feridas, sendo uma criança de dois anos e uma grávida de sete meses. Antes de sair, os criminosos jogaram garrafas com líquido combustível (coquetel molotov) e incendiaram o imóvel. Ninguém foi preso.

Lista das vítimas
MORTOS
Leandro de Castro Moraes, de 27 anos; Brainer Gomes Martins, de 19; e Leonardo José de Souza, de 20

FERIDOS
Na lanchonete
Jonatas Alves, de 19 anos; Gabriel M. Oliveira (idade não informada); Rogério S. Oliveira, de 32; e Leandro da Conceição, de 21

No bar
Maycon Walace Cupertino Silva, de 23 anos; Ricardo dos Santos Fernandes, de 28; e Júnior Paulino Gomes, de 24 anos

Na casa
Cláudio da Cruz, de 21 anos; Saymon David Silva, de 22; Margéia Pamela Silva, de 19; uma menor de 17 anos e uma menina de apenas 2 anos

Fonte: www.otempo.com.br/

Agente carcerário é feito refém durante motim em Piraquara

De acordo com informações da PEP II, um detento surpreendeu o agente carcerário e o fez refém. Ele contou com a ajuda de outros presos da cela.
Um motim com refém é registrado na Penitenciária Estadual de Piraquara II (PEP II) , na região metropolitana de Curitiba, nesta segunda-feira (31). Um agente carcerário foi feito refém, por volta das 9 horas, de acordo com a PEP II e o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná. Ele não foi ferido pelos detentos.

Apesar de na penitenciária haver confirmação de motim, segundo a Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos o ato estaria sendo feito por apenas de três detentos que pedem transferência da unidade.

De acordo com informações da PEP II, um detento surpreendeu o agente carcerário e o fez refém. Ele contou com a ajuda de outros presos da cela. A confusão não se espalhou para outras celas da penitenciária.

A informação inicial foi de que o agente havia sido solto por volta das 11h40 e não estava ferido. A liberação do refém deixou de ser confirmada pela penitenciária por volta do meio-dia. A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos disse, por volta das 12h30, que o agente carcerário ainda era mantido refém.

Equipes do Comando e Operações Especiais (COE) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da PM estavam no local, assim como o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil.

O motim começou em um cela da sexta galeria do bloco 3 da PEP II. Não há informações sobre presos ou policiais feridos.

As negociações ainda estavam em andamento, por volta das 12h30, de acordo com a Secretaria de Justiça. A liberação do refém era negociada pela secretaria e pela Polícia Militar com os presos. Um juiz era aguardado na unidade.
Foto: Henry Milleo/Agência de Notícias Gazeta do Povo/Policiais da PM guardam a entrada do presídio.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br

Tv Imigrantes (Menores Apreendidos tentativa de assalto)

SETE LAGOAS - Trio de menores apreendido com cocaína e crack

Na tarde de ontem, policiais militares do 25º Batalhão apreenderam, em Sete Lagoas, três menores, de 14, 15 e 16 anos, suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas. Com eles, a PM recolheu cocaína, crack e uma balança de precisão.

Os militares receberam uma denúncia anônima de que em uma casa do Bairro Orozimbo Macedo estaria ocorrendo comércio de entorpecentes. No local denunciado, após buscas, os policiais encontraram 16 papelotes de cocaína, 66 pedras de crack, uma balança de precisão e dois aparelhos celulares, entre outros objetos.

Também foram apreendidos os três adolescentes que eram proprietários da droga. Eles foram conduzidos, juntamente com o material apreendido, para a Delegacia de Polícia Civil.

Fonte: PMMG

Adolescentes roubam R$ 6 mil de lotérica e são apreendidos na Savassi

Dois adolescentes de 13 e 16 anos foram apreendidos na Savassi, nesta terça-feira (25), depois de roubarem R$ 6.500 de uma lotérica.
Segundo os militares do 1º Batalhão da Polícia Militar, o garoto de 13 anos estava armado com um revólver calibre 38 e entrou no estabelecimento acompanhado de outros dois jovens. "Uma pessoa que passava pelo local estranhou quando viu os três entrarem na lotérica e fecharem as portas e alertaram um policial que estava próximo", contou o sargento Ilton de Assis.


Os adolescentes roubaram ainda vários relógios em uma loja de bijouterias localizada no interior da casa lotérica. O garoto de 16 anos foi apreendido próximo à lotérica, o menino de 13 anos foi localizado em um ônibus na Praça da Liberdade. O menino estava com todo o material do roubo os R$ 6.500, relógios e celulares em uma mochila, além da arma usada no crime.


Os adolescentes são moradores dos bairros General Carneiro e Nações Unidas, em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte, conforme os militares.


Eles foram encaminhados para o Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA), no Barro Preto. O outro jovem que participou do assalto não foi localizado.


Fonte: O TEMPO

domingo, outubro 30, 2011

Adolescentes rendem agente e causam tumulto em centro de internação no bairro Horto


JÚNIA BRASIL

Várias viaturas do 16º Batalhão da Polícia Militar estiveram empenhadas na noite deste sábado, 29, em conter o princípio de uma rebelião no Centro Socioeducativo Santa Terezinha (CSEST), no Bairro Horto, região Leste de Belo Horizonte.

De acordo com a Polícia Militar, alguns internos teriam ameaçado um agente e a polícia foi chamada para evitar uma rebelião. Um morador do bairro, que preferiu não se identificar, diz ter visto várias viaturas do Gate e do Batalhão Rotam no local. Ele disse também que um helicóptero da PM foi usado como reforço aos policiais que estariam tentando negociar para que os internos liberassem o agente rendido.

Até às 22h25, horário de fechamento desta nota, a polícia ainda não tinha mais informações sobre o tumulto.

Fonte: http://www.otempo.com.br

Rebelião e agressão contra os Agentes no Centro Socioeducativo do Horto

Inaugurado no dia 21/09 o Centro Socioeducativo do Horto em Belo Horizonte, pela secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), ao custo R$ 3,4 milhões (Três milhões e quatrocentos mil Reais) com capacidade para atender 58 adolescentes, teve nesta noite de sábado 29/10 uma rebelião com o saldo de destruição e o mais grave de tudo, um Agente foi feito refém e teve a sua vida ameaçada.
Este Agente foi imobilizado e os acautelados colocaram em volta de seu pescoço um fio de cobre da TV iniciaram o enforcamento. A ação perdurou um determinado tempo a ponto do Agente começar a desfalecer. Este ato só foi interrompido por um outro adolescente que sugeriu não fazer isto, caso contrario o servidor morreria ali mesmo.
A Policia Militar foi acionada e teve o apoio do helicóptero a fim de verificar a realização de fuga.
Quando o fato já estava contornado (a redação deste de Blog procurou obter informações sobre o ocorrido mas de uma maneira muito bem orquestrada ninguém quis relatar ) foi levado para o CIA/BH vários menores que participaram desta rebelião e outros foram para o UPA/LESTE.
A violência foi tamanha que um aparelho de TV foi lançado por cima do muro e atingiu a Unidade Santa Terezinha o que obrigou os Agentes desta Unidade a recolher os vidros do tubo da imagem e entregar ao Centro Socioeducativo do Horto.


Familiares de Agentes chorando

Apesar de ser a mais recente Unidade do sistema socioeducativo de Minas Gerais, está Unidade tem um histórico de desrespeito ao Servidor. O uso de equipamentos de segurança para a contenção dos agressores é proibido, há convocações para reforço em outros plantões rotineiramente a ponto dos Agentes não terem como agendar compromissos particulares, não há treinamento de defesa pessoal, vide o ocorrido, não tem treinamento de primeiros socorros e muito menos de combate a incêndio.
A situação é tão precária destes Agentes que no período da rebelião aproximadamente 5 (cinco) carros particulares de familiares dos Servidores estiveram na portaria da Unidade para ter informações sobre como estava a saúde e a vida de seu ente querido, muitos destes estavam chorando e somente ficaram calmos depois que os abraçavam. Alguns familiares querem que seu parente peça a transferência para outra Unidade e se caso não consiga querem que eles saiam do sistema pois não suporta saber que seu filho, seu esposo ou seu irmão viva no local tão perigoso como o Centro Socioeducativo do Horto.


Tudo continua


Mesmo com tantas coisas erradas nos sistema em particular nas Unidades de acautelamento os dirigentes lutam para passar uma imagem “linda” (maquiada) do sistema socioeducativo de Minas, para a sociedade. Estes dirigentes que vivem no conforto das salas com ar condicionado e água gelada da Cidade administrativa, tentam esquecer que nestes últimos 3 (três) anos mais de 30 (trinta) adolescentes morrem sob a tutela do Estado e que vários Agentes (não há números oficiais) estão feridos, de licença, em tratamento devido as condições insalubre de trabalho. Estes dirigentes perpetuam está situação, pois sabem que se mexer para resolver o problema, eles tem que ser os primeiros a sair.
O sistema socioeducativo de Minas Gerais é gerenciado por amadores que tomam atitudes baseado no apadrinhamento e clientelismo. Como pode ainda um Diretor permanecer dirigindo uma Unidade com sucessivas irregularidades como no CEIP DOM BOSCO, SÃO JERÔNIMO e principalmente em TODAS Unidades do interior do Estado? Se não for por que estes diretores são coniventes ao estarem totalmente alinhados com a Direção mor, não há outra resposta.
Ontem mais um de nosso irmão de farda quase morreu dentro de Unidade de trabalho, será que os dirigentes estão pensando que NÃO lidamos com criminosos todos os dias? Será que eles estão “jogando” com os bandidos?


Foto: Carlos Alberto Secom/MG - Imagens mostram as autoridades que abriram esta Unidade e uma das partes "bem feita", o alojamento verde.



Adolescentes são apreendidos com armas e droga em Vespasiano

Com a dupla, a PM apreendeu um submetralhadora de fabricação caseira, um pistola, uma balança de precisão e pedras de crack

Dois adolescentes foram apreendidos com armas e drogas durante a madrugada desta quinta-feira, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com militares do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), policiais faziam patrulhamento no Bairro Morro Alto, quando depararam com os menores, que, ao avistarem a viatura, correram.

Os jovens foram perseguidos e capturados. Com a dupla, a PM apreendeu uma submetralhadora de fabricação caseira, um pistola, munições, uma balança de precisão e algumas pedras de crack. Os adolescentes foram encaminhados para o Centro de Integrado de Atendimento ao Menor Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte (CIA-BH)
Fonte: http://www.em.com.br

Menor que abusou de dentista é reincidente

Um adolescente de 17 anos suspeito de estuprar uma dentista de 23 anos, na semana passada, prestou depoimento no Fórum de Varginha, no Sul de Minas, anteontem à tarde, e negou as acusações. Segundo a Polícia Civil, o jovem é reincidente em tentativas de estupro e possui outras 23 passagens por roubo, furto e assalto. No entanto, ele nunca teria ficado detido por não haver vagas em unidades que abrigam menores infratores na cidade.

De acordo com a assessoria do fórum, o jovem ficou calado na maior parte da audiência. Após o depoimento, o rapaz foi levado para o Presídio de Varginha, onde ficará internado provisoriamente até a próxima audiência, que acontece no dia 7 de novembro.
Fonte: http://www.otempo.com.br

Jornal Hoje 1207 2011 Adolescentes roubam carro e provocam tragédia em SP

sábado, outubro 29, 2011

Após rebelião, detentos são transferidos de presídio da Paraíba

Segundo a Polícia Militar, transferência foi feita para evitar novos tumultos.
Nesta quinta-feira (27) uma rebelião deixou dois mortos e 14 feridos.
Depois da rebelião que deixou dois mortos e 14 feridos na quinta-feira (27) no presídio do Roger, a secretaria de Administração Penitenciária do Estado decidiu transferir seis detentos da unidade. Eles foram levados para o peninteciária de segurança máxima PB-I, que também fica na capital paraibana.

O diretor do PB-I , Sérgio Fonseca, confirmou que os detentos chegaram ao presídio ainda na noite de quinta-feira. Eles vão ficar cinco dias separados dos demais presos.

A Polícia Militar informou que a transferência foi feita por questões de segurança para evitar que novos tumultos acontecessem no Roger. Os transferidos estariam sofrendo ameaças por parte de companheiros de cela.

A secretaria de Administração Penitenciária também informou, através de nota, que já foi determinada a abertura de sindicância para apurar as razões da rebelião. Também foi instaurado um inquérito policial, na Delegacia de Homicídios.

De acordo com o coronel José Cláudio do Nascimento, gerente do Sistema Penitenciário do Estado, uma rixa entre presos motivou a rebelião no presídio do Roger. Os detentos dos pavilhões 2,3 e 4 tentaram invadir o local que estava ocorrendo a visita dos presidiários dos pavilhões PB 3, 5 e 6. Vários colchões foram queimados e cadeados quebrados durante a rebelião.

Por volta das 13h30 a tropa de Choque invadiu o presídio para controlar o tumulto e, de acordo com o coronel, a confusão foi controlada às 14h30. Os feridos foram encaminhados para o Hospital de Emergência e Trauma.

Mesmo a rebelião acontecendo em menos de 24 horas após um detento ter sido assassinado e esquartejado na penitenciária, o gerente do Sistema Penitenciário afirmou, durante uma entrevista coletiva, que o tumulto desta quinta-feira não teve ligação com o homicídio.
Foto: Batalhão de Choque conseguiu conter rebelião porvolta das 14h30
(Foto: Walter Paparazzo/G1)
Fonte: http://g1.globo.com

Adolescentes brigam na saída de escola em Novo Gama (GO)

sexta-feira, outubro 28, 2011


Diretora sofre uma nova ameaça

Adolescente acusado de agredir educadora em Contagem volta ao colégio; mãe diz que filho sofre perseguição.

KARINA ALVES
falesuper@supernoticia.com.br


A diretora da Escola Municipal Maria Silva Lucas (Caic Laguna), em Contagem, na região metropolitana, Maria Aparecida de Fátima, que há dois meses foi ameaçada e agredida por um aluno de 15 anos que a chutou após ser repreendido na sala de aula, voltou a ser alvo do menor infrator. Ontem, o adolescente foi visto armado dentro da escola, acompanhado de outros dois rapazes.

Estudantes contaram que o menor - que já havia sido transferido do colégio e deveria estar cumprindo medida socioeducativa - foi ao colégio com a intenção de matar a diretora. Alertada, Maria Aparecida se escondeu numa sala. Denunciado, o menor chegou a ser levado pela Polícia Militar a uma delegacia, mas depois de cinco horas de depoimento voltou para a casa acompanhado da mãe.

A justificativa da Polícia Civil é que não houve provas em relação à denúncia feita por alunos e por uma professora que teriam testemunhado o momento em que o estudante invadiu o Caic Laguna. A arma não foi localizada. Os rapazes que estavam com o adolescente também não foram identificados.

O menor foi apreendido em casa. Com a ajuda da mãe, ele negou que tenha ido à escola. A câmera do circuito interno que poderia ter filmado a ação foi roubada, segundo a diretora Maria Aparecida. "Meu filho não saiu de casa hoje (ontem). Eu fui ao supermercado e ele ficou cuidando da irmã", disse a mãe Cristina Conceição Nunes, de 50 anos. Ela também foi à delegacia. No boletim de ocorrência da PM consta ainda que uma adolescente, prima do infrator, teria confirmado que ele estava armado.

O caso será investigado pela Divisão de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad) de Contagem, onde o estudante ficou internado por cinco dias em setembro, como pena por ter agredido a diretora, no dia 26 de agosto. Na ocasião, ele foi filmado pela câmera de um celular agredindo a diretora.

Internação
A internação provisória do adolescente, determinada pelo Juizado da Infância e Juventude, poderia durar até 45 dias, mas ele foi liberado cinco dias depois para cumprir medida socioeducativa. Na ocasião, o juiz Elias Charbil Abdou autorizou o cumprimento medida em regime aberto, por considerar que o menor estava arrependido.

Até à noite de ontem, nem a Promotoria da Infância nem a Justiça haviam sido notificadas sobre a nova ameaça feita pelo menor.

Apesar do arrependimento demonstrado ao juiz, o adolescente não vinha cumprindo a medida disciplinar de prestação de serviços na Prefeitura de Contagem. A alegação dada pela mãe é que a prefeitura fica longe da casa da família. "Conseguimos uma vaga para ele trabalhar em uma associação aqui do bairro. Ele começa amanhã (hoje)", disse a mãe.

Tensão
Na escola Caic-Laguna, o clima ontem foi de tensão entre os funcionários. Assustada, a diretora chorou muito com medo do garoto. "Fui surpreendida com a notícia de que o viram armado na quadra. Ainda estava tentando esquecer o que aconteceu, mas não sei se vou conseguir trabalhar ou se vou ser morta dentro da escola".

Funcionário detido
O funcionário da Prefeitura de Contagem, Carlos Eduardo Oliveira, estava na casa do garoto quando a polícia chegou ao local. Oliveira teria tentado impedir que o jovem fosse levado e acabou sendo detido por desacato à autoridade. Ele foi ouvido na delegacia e liberado. A assessoria da prefeitura informou que a visita do funcionário à casa do menor estava relacionada ao cumprimento da medida socioeducativa. "Houve uma discussão com o guarda, que não entendeu o papel do servidor lá", informou a assessoria. Representantes da Secretaria Municipal de Educação de Contagem estiveram a todo momento com o estudante, ontem, após a denúncia da nova ameaça.


Menor chama mãe de burra


Quando foi levado pela Polícia Militar, o adolescente foi agressivo e chegou a fazer gestos obscenos para os jornalistas. Irritado ao ver a mãe conversar com a imprensa, o adolescente a chamou de "burra", gritando na frente de todos.

Um policial do serviço de inteligência da PM, que pediu para não ser identificado, disse que o adolescente tem pulado o muro da escola para usar drogas e, frequentemente, é visto na casa de um traficante da região. "Conseguir uma arma e se livrar dela não seria difícil para ele", afirmou o policial. No histórico escolar do adolescente, aparecem ainda outras duas agressões envolvendo estudantes, além de três advertências por indisciplina.

Segundo a coordenadora municipal de Educação de Contagem, Maristela Ribeiro, o jovem frequentava as aulas e tinha bom comportamento na nova escola para onde foi transferido. "Ele está indo muito bem. Só faltou nos últimos quatro dias". A mãe o defendeu. "A escola era longe", afirmou. (KA/JS)
Fonte: http://www.otempo.com.br

Suspeitos de espancar torcedor do JEC são adolescentes

Dois dos três supostos agressores já foram identificados pela Polícia Civil
A Polícia Civil já tem suspeitos da morte de Bruno Monteiro, 21 anos, que foi espancado em frente à Arena, na semana passada. Dois dos três supostos agressores já teriam sido identificados e seriam adolescentes.

Bruno morreu na última sexta-feira depois de ficar três dias internado no Hospital São José. Ele foi espancado na madrugada de segunda para terça-feira depois de participar das comemorações do acesso do JEC para a Série B.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/

Prefeitura recolhe 37 pessoas da cracolândia do morro do Cajueiro

No total, foram 33 adultos e quatro crianças e adolescentes
Agentes da Secretaria Municipal de Assistência Social recolheram 37 pessoas, sendo 33 adultos e quatro crianças e adolescentes, na região da cracolândia do morro do Cajueiro, em Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (29).

A operação foi realizada em parceria com as polícias Civil e Militar. A ação começou às 6h com mais de 30 profissionais da secretaria e contou com o apoio de 20 policiais do Batalhão de Rocha Miranda (9º BPM) e 12 da DPCA.

As equipes percorreram o morro do Cajueiro e o entorno, a linha férrea próxima à comunidade São José da Pedra e a avenida Ministro Edgar Romero, na altura do Mercadão de Madureira.

Logo no início, os adultos em situação de rua não aceitaram o acolhimento, mas os educadores sociais conseguiram convencê-los de a seguir para um abrigo.

Uma equipe multidisciplinar aguardou a chegada das crianças e dos adultos, na Central de Recepção Carioca, para realizar uma avaliação clínica e psicológica sobre o estado de saúde e o nível de comprometimento com as drogas de todos eles.

No caso das crianças, se forem diagnosticadas com dependência química, serão encaminhadas a uma das unidades de abrigamento compulsório da prefeitura. Já os adultos, serão levados para uma unidade de abrigamento social onde outra equipe de profissionais irá trabalhar para convencê-los a permanecerem no local.

Do dia 31 de março de 2011 até esta sexta-feira, a secretaria realizou 21 operações de combate ao crack em diferentes pontos da cidade e retirou das ruas 1284 pessoas (1035 adultos e 249 crianças e adolescentes).

Fonte: R7

quinta-feira, outubro 27, 2011

AGENTES SOCIOEDUCATIVOS SE REUNIRAM NA SEDE DA CENTRAL

Belo Horizonte. O presidente do Sindicato do Sistema Socioeducativo, Alexandre Canella e o diretor, keifferson Magela, estiveram na sede da Força Sindical na manhã de hoje (27/10), para uma conversa com o presidente da Força Minas, Rogério Fernandes, e o tesoureiro Carlos Malaquias. No encontro, Canella expos os problemas da categoria, esclareceu dúvidas e conheceu as novas instalações da Força.

O presidente do sindicato ainda explicou como funciona o sistema socioeducativo nas unidades do estado “são medidas sócio educativas, uma privação da liberdade para os menores infratores acima de 10 anos. Eles podem ficar em regime de internação por até três anos”.

Nas unidades os menores que já estudavam continuam indo às aulas, mas eles são acompanhados por um agente. Os internos também podem participar de um programa do governo do estado que oferece cursos técnicos através do Senai. “Os agentes têm a função de reintegrar esses menores à sociedade, e não de puni-los”, avisa Canella.

O presidente da Força Sindical, Rogério Fernandes, acredita que a visita dos filiados é de fundamental importância já que “podemos discutir com as mais diversas categorias que estão filiadas a nossa Central, além de Conhecer e esclarecer nossos filiados sobre as questões sindicais”.

Fonte: http://fsindicalmg.com.br

Jaraguá do Sul: irmãs teriam ganhado guloseimas para não contar sobre os abusos sexuais

Dentro de dez dias, o delegado Adriano Spolaor deve concluir as investigações sobre um suposto abuso sexual cometido contra duas irmãs, de oito e 12 anos, em Jaraguá do Sul. Três homens foram presos sob a suspeita de cometer o crime, que estaria ocorrendo há pouco mais de um mês.

Um dos acusados é um irmão das meninas, tem 19 anos e morava na mesma casa. Segundo Adriano, o rapaz é irmão das meninas por parte de mãe. Os outros acusados são um vizinho e um conhecido da família.

— Suspeitamos que as meninas eram presenteadas com guloseimas para que elas não contassem a ninguém sobre os abusos — comenta Spolaor.

Os suspeitos negaram as acusações. Os abusos teriam ocorrido à noite, no quarto das meninas e na sala da casa. De acordo com o delegado, os suspeitos teriam cometido o crime em épocas diferentes e, por isso, nunca estariam juntos durante os atos de violência.

O irmão caçula delas, de sete anos, teria presenciado as agressões. Spolaor também suspeita que os pais sejam cumplices no crime, já que os abusos teriam ocorrido quando eles estavam em casa.

— É uma situação que ainda estamos investigando — acrescentou.

Se for condenado, o irmão delas pode pegar até 30 anos de prisão por estupro de vulnerável e ato libidinoso na presença de menor de 18 anos. Segundo o delegado, a relação de parentesco com as vítimas pode dobrar a pena prevista para o crime.

De acordo com o delegado, laudo preliminar feito por um médico do Hospital Jaraguá confirmou que as meninas foram abusadas. O laudo do Instituto Médico Legal, com o resultado oficial, deve ficar pronto dentro de dez dias. As crianças estão recebendo acompanhamento psicológico pelo Serviço de Enfrentamento à Violência Sexual.
Fonte: http://www.clicrbs.com.br/

XANXERÊ - Adolescentes brigam em via pública

Na Rua Victor Konder em frente ao fórum a guarnição localizou duas adolescentes em vias de fato, estas foram identificadas e conduzidas à Delegacia para procedimento especial de adolescentes. Foi constatado que ambas estavam embriagadas e comumente são vistas nestas condições no centro da cidade. Não foi possível identificar o fornecedor da bebida alcoólica.

Fonte: http://www.robertolorenzon.com.br

Mais jovens estão consumindo

quarta-feira, outubro 26, 2011

Mães viciadas em crack e cocaína Mães viciadas em crack e cocaína

Na maior maternidade estadual da zona leste de SP, 99 mulheres perderam a tutela de seus filhos em razão da dependência química. Levantamento inédito produzido pela Secretaria de Estado da Saúde na maternidade estadual Leonor Mendes de Barros, a maior da zona leste de São Paulo, aponta aumento no número de mães dependentes de crack e cocaína que perdem a tutela de seus bebês em razão do vício.
Por meio do serviço social, o hospital encaminhou em 2010, para a Vara da Infância e Juventude, 43 crianças cujas mães não tinham condições de manter a guarda do filho em virtude da dependência química.

Esse aumento foi progressivo no decorrer dos anos. Em 2007 houve apenas um caso. Em 2008, 15 crianças foram encaminhadas à Vara da Infância e Juventude. Já em 2009 foram 26 casos, o que representa um aumento de 73% se comparado ao ano anterior. Só no primeiro trimestre de 2011, o hospital registra 14 casos de perda da tutela.

O fluxo de atendimento levou o hospital a realizar um estudo específico para diagnosticar os aspectos sociais que compõe o cenário de prejuízo materno em detrimento das drogas.

Com base na análise de 33 prontuários de pacientes que deram entrada entre abril de 2009 e abril de 2010, foi observado que 64,5% das parturientes atendidas tinham idade entre 15 e 25 anos. Há prevalência de baixo nível de escolaridade (54,8% não completaram o Ensino Fundamental) e ausência de profissão estabelecida (61,3%).

A dependência química também atrapalha o acompanhamento médico das gestantes - 48,4% das pacientes não aderiram ao total de consultas de pré-natal oferecidas. Entre as drogas mais consumidas por esse grupo estão o crack (41,94%) e a cocaína (19,35%). O estudo revelou ainda que 48% das parturientes atendidas na maternidade possuem companheiros também usuários de drogas, o que dificulta a tomada de decisão para o abandono das drogas e pela procura por tratamento.

Outros três hospitais estaduais da capital apresentaram também casos de bebês encaminhados ao Conselho Tutelar ou à Vara da Infância em 2011 em razão de dependência química das mães. Foram 13 ocorrências no Hospital Geral de Pedreira, 14 no Hospital Geral de São Mateus e 32 no Hospital Estadual de Sapopemba. A Secretaria irá dobrar, até 2012, o número de leitos de internação para dependentes químicos (álcool e drogas) em todo o Estado, que passará de 400 para 800.

O acompanhamento ambulatorial é feito nos Caps Ad (Centros de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas) municipais. As informações são do Governo do Estado de São Paulo.

Fonte: R7

Mãe agride filho de 17 anos que levou arma para escola

Após ser chamada por diretora, mulher se revoltou contra o adolescente e o esbofeteou na frente de colegas e professores.

JAQUELINE ARAÚJO
jaqueline.araujo@supernoticia.com.br


Após ser chamada na escola onde o filho de 17 anos estuda porque o garoto havia entrado armado no colégio, a mãe do adolescente o agrediu na frente de colegas e professores. O fato inusitado ocorreu, na manhã de ontem, na Escola Municipal Padre Francisco Carvalho Moreira, no bairro São Geraldo, na região Leste da capital.

De acordo com o sargento Snaid Santos Coelho, do 16º Batalhão da Polícia Militar, revoltada ao ser chamada pela direção, a auxiliar de serviços gerais Simone Heloísa, de 38 anos, afirmou, na escola, que não iria aceitar que o filho virasse bandido. "Já chega o seu pai ter sido preso. Não vou ter um filho criminoso", teria dito Simone ao filho.

Por conta dos tapas que levou, o adolescente precisou receber atendimento médico. Ele foi levado pelos próprios policiais, juntamente com a mãe, até uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) na região. Depois, ele acabou encaminhado ao Centro de Integração de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte (CIA-BH).

O sargento Coelho contou que a direção da escola chamou a polícia após a professora do menor perceber que ele estava com um revólver calibre 32, com seis cartuchos intactos. O menino, que andava com a arma na cintura, foi levado para a diretoria até a chegada da mãe.

A mulher, que trabalha em uma creche e tem outros quatro filhos, de 7, 9, 10 e 14 anos, contou para a polícia que o adolescente já estava sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar, pois não gosta de estudar, mas disse que o jovem nunca se envolveu em confusão.


Arma era para defesa


Para os policiais, o adolescente alegou que havia comprado a arma para se defender de ameaças que estava sofrendo. No entanto, o jovem não explicou quando e como comprou o revólver. A coordenadora do programa Rede Pela Paz, Jaqueline Vilaça, que coordena o programa em 186 escolas municipais, explicou que o caso do menor foi isolado na instituição, que atende 1.071 alunos. (JA)
Fonte: http://www.otempo.com.br/

DIVINÓPOLIS - Menor apreendido com mais de meio quilo de maconha

Na madrugada de hoje, 24, policiais militares do 23º Batalhão apreenderam uma sacola plástica contendo um tablete de maconha, pesando 505 gramas. Foram apreendidos ainda, 35 papelotes de cocaína, uma pedra de crack e material para embalar drogas.

Após receber uma denúncia anônima, os militares foram informados que um menor teria alugado um sitio na zona rural de Branquinhos e que estaria traficando drogas na região.

No endereço denunciado, o jovem de 17 anos foi encontrado junto com todo o material apreendido. Ele foi conduzido até a 21º Delegacia Regional de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante.

Fonte: PMMG

Adolescentes fogem da escola e assaltam joalheria no interior de SP

terça-feira, outubro 25, 2011

Operação da Patrulha Escolar apreende adolescentes com drogas

Em uma operação de rotina a Patrulha Escolar apreendeu, nesta quarta (19), três adolescentes com drogas na praça do Jardim San Rafael. O sargento Romildo, juntamente com os cabos Márcia, Pizzi e Issac, encontrou 28 pedras de crack e 26 de maconha.

“Começou hoje uma operação, na região de Londrina, Cambé e Ibiporã, denominada Todos por Um, envolvendo a Polícia Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal, Força Verde e Corpo de Bombeiros. Para garantir mais segurança à comunidade”, explicou o sargento Romildo.

Ele contou como foi a abordagem. “Nos deslocamos até o colégio do San Rafael, fizemos um contato com a direção da escola, que nos passou a problemática que enfrenta o colégio na parte externa. Ao sairmos do colégio, visualizamos três adolescentes em atitude suspeita, em uma praça bem próxima dali e fizemos a abordagem dos mesmos”, comentou.

Em um primeiro momentos os policiais não encontraram nada com os jovens. Porém, por meio de uma denúncia anônima, foi revelado que a droga estava escondida. “Recebemos uma denúncia anônima que tinha entorpecentes escondidos em uma moita de espinhos próxima a eles. Retornamos ao local, fizemos a abordagem e uma varredura no local”, continuou o sargento.

Além da droga e dos adolescentes, foram apreendidas duas bicicletas que seriam usadas para o transporte e fornecimento dos entorpecentes. Suspeita-se até que esses veículos tenham procedência duvidosa, já que uma das bicicletas é de alumínio mas recebeu uma pintura azul.

O sargento Romildo salientou a ajuda da população, por meio das denúncias anônimas. “É importante ressaltar a participação da comunidade. Uma denúncia anônima, que nos possibilitou chegar a essa droga. É muito importante que a comunidade participe! Ela não precisa se identificar, mas ela pode nos auxiliar, e muito, a tirar os menores infratores de circulação”.
Fonte: http://www.tudoibipora.com.br

Adolescentes que vendiam drogas fogem da polícia em Ribeirão Preto (SP)

Cinco adolescentes fogem do Albergue Infantil na Vila Nery


O Albergue Infantil está a procura de cinco adolescentes com idade entre 12 e 13 que fugiram na noite deste sábado 15, e não entraram mais em contato com o local e familiares.

A Policia Militar foi comunicada via COPOM sobre o fato. Qualquer informação sobre o paradeiro das crianças pode ser passada para a PM através do telefone 190 ou Guarda Municipal pelo fone 0800-77-100-43.
Foto: Deco Ferreira
Fonte: http://www.jornalpp.com.br/

segunda-feira, outubro 24, 2011

Mais um Domingo sangrento no Ceip Dom Bosco e com fugas

Na tarde deste domingo dia 23, três adolescentes acautelados no Centro de Internação Provisória Dom Bosco - CEIP DOM BOSCO, armados com chuços renderam o único Agente responsável para fazer a segurança de mais 40 menores no Núcleo 3. Eles o amarraram em uma cadeira e transferiram vários socos e cravaram um chuço a ponto do Servidor ficar com o rosto totalmente ensangüentado.
Conforme informações dos Agentes da Unidade, que com receio de sofrer alguma represaria não quiseram se identificar relataram que os menores pegaram as chaves e o Radio HT, do Agente que nesta hora estava caído ao chão com um cobertor por cima e empreenderam fuga, subindo a muro da quadra e assim chegaram ao pátio próximo à entrada principal.
Para obrigar o Servidor da MGS abrir o portão eles pegaram uma cadeira e o ameaçou de morte, desta maneira conseguiram sair da Unidade.
Quando os restantes do adolescente do Núcleo 3 comunicaram para o restante dos acautelados dos outros Núcleos, iniciou um tumulto obrigando a equipe de segurança a retirar todos e levá-los para a quadra a fim de acabar com os atos de vandalismos. Vários adolescentes jogam urina, alimentos e cuspi nos Agentes e fezes no corredor.

Ato heróico

Mesmo sem equipamentos de segurança adequados, viaturas, armamentos e treinamento tático, os Agentes foram atrás dos menores fugitivos que seguiram em direção a uma favela próxima da Unidade. Os acautelados usando de uma estratégia criminosa optaram por aquela comunidade com o intuito de lograr êxito na fuga, porem eles não contaram com coragem e determinação dos membros de Equipe 1 que adentraram aqueles becos e conseguiram recapturar um dos adolescentes fugitivos.
Este foi trazido para a Unidade e todos os procedimentos legais foram tomados.
Agora a direção geral da Unidade tem nas mãos a oportunidade para mostrar que realmente está apoiando e buscando valorizar o árduo trabalho dos Agentes. Como? Conceda uma folga extra para estes bravos Servidores que com coragem, ousadia, determinação, profissionalismo e proatividade enfretraram todos os perigos e até risco de vida, para cumprir as suas atribuições de Servidor de segurança.



Histórico


Isto está virando uma rotina nas Unidades Socioeducativo de Minas Gerais, cujo governo na pessoa do Subsecretario, faz propaganda dizendo que em Minas tem o melhor Sistema Socioeducativo do País. Recentemente nas Unidade de Sete Lagoas e Teófilo Otoni vimos como a SUASE esta deixando toda a infra-estrutura depreciar colocando em risco o trabalho dos Agentes de Segurança. Nestas Unidades os servidores deixaram suas famílias e foram trabalhar, mas saindo direto para o hospital, pois um infrator julga no direto de agredi-lo e tentar matá-lo.

O pior nesta situação é que recentemente a SUASE esta promovendo a retirada da autoridade dos Agentes que agora não podem mais aplicar medida disciplinar cabendo somente para a coordenação de cada equipe e posteriormente esta medida será avaliada por uma comissão que tem o poder de retirar a referida medida.

Assim perguntamos aos dirigentes do Sistema Socioeducativo de Minas Gerais que fica nas salas de ar condicionado da Cidade Administrativa, vocês estão esperando um Agente morrer para fazer algo que nada mais é que as suas obrigações?

Alguns meses postamos este história, em virtude de um ato semelhante e houve alguma mobilização para resolver esta situação?
Foto 1 : Por Roberto Gloria
Foto 2: Cristina Horta/EM/D.A Press

PARÁ DE MINAS - PM apreende menores com drogas

Policiais militares da 19ª Companhia Independente apreenderam, em Pará de Minas, dois menores, de 15 e 16 anos, suspeitos de tráfico de drogas.

A PM recebeu denúncias de que na rua Paulo VI, Bairro Padre Libério, estaria ocorrendo tráfico de drogas. Na casa denunciada, encontraram um jovem de 15 anos com 19 pedras de crack, oito papelotes de cocaína, quatro buchas de maconha, um pote contendo pó royal.


Durante a presença dos militares, o telefone da sua casa tocou. Era um adolescente de 16 anos pedindo cinco buchas de maconha. O menor foi até o local para pegar a droga e foi pelos PMs. Eles foram conduzidos a Depol em perfeitas condições físicas juntamente com os materiais apreendidos para as demais providencias.

Fonte: PMMG

Adolescente é morta dentro de casa em BH

Uma adolescente de 17 anos foi assassinada ontem na casa onde morava, no bairro Santa Margarida, na região do Barreiro, em Belo Horizonte. Os suspeitos do crime seriam dois traficantes, que conseguiram fugir.

De acordo com a Polícia Militar, a jovem assassinada estava em casa na companhia de uma outra adolescente de 12 anos. No começo da tarde, a campainha da casa tocou. Ao atender, Regiane foi baleada com três tiros, sendo um no tórax, outro debaixo do braço e o terceiro na bacia. A outra menina estava na parte da residência e não foi ferida.

De acordo com o tenente Raphael Damásio, da 12° Cia do 41° Batalhão da Polícia Militar (BPM), o namorado da vítima foi preso recentemente com uma certa quantidade de droga. "Acreditamos que os criminosos estiveram na residência para cobrar a dívida da droga. Como a jovem não pagou, acabou baleada", explicou.

No local, foi encontrada uma cápsula de calibre 38, recolhida pela perícia da Polícia Civil, que instaurou um inquérito para investigar o caso.

Fonte: http://www.otempo.com.br

Menor invade casa, tenta estuprar mulher e acaba espancado na Serra

Um menor de 17 anos foi encontrado pela Polícia Militar do Espírito Santo, amarrado e com sinais de agressão em uma casa no bairro Jardim Carapina, na Serra, nesta terça-feira (19). Testemunhas disseram à polícia que o rapaz teria entrado na residência para assaltar os moradores e tentado estuprar uma mulher. Os vizinhos ouviram os barulhos, entraram na casa e espancaram o menor.

Jovem de 17 anos estava com uma arma caseira, um serrote com 2 canos.
Polícia disse que a ação foi às 3h desta terça-feira (19).

De acordo com a polícia, o rapaz teria pulado o muro da casa às 3h da madrugada, quebrado o vidro da porta e conseguido entrar. Ele estava com uma arma caseira, um serrote com dois canos de alumínio, quando anunciou o assalto ao casal que mora na residência. A intenção do rapaz era assaltar a casa e estuprar a mulher.

Segundo a polícia, o menor teria amarrado o homem e, em seguida, levado a mulher até o banheiro para tentar estuprá-la, mas não conseguiu. O marido teria conseguido se soltar das cordas e impedido a ação do rapaz. A polícia disse que os dois entraram em luta corporal. Os vizinhos ouviram os gritos e ajudaram o homem a espancar o menor. Ainda de acordo com a polícia, o menor foi amarrado e espancado até a chegada dos militares.

O marido teve a perna quebrada e o menor ficou muito machucado. Os dois foram levados para o hospital Dório Silva, na Serra. A mulher não sofreu ferimentos e, no momento, presta depoimento no Departamento de Polícia Judiciária na Serra.
Foto: Arma usada na tentativa de assalto era caseira, um serrote com 2 canos. ( Guido Nunes/TV Gazeta)

Fonte: http://g1.globo.com

Projeto na Câmara dos Deputados reabre discussão sobre redução da maioridade penal

SÃO PAULO - A cidade de São Paulo assistiu a uma série de crimes sendo cometidos por grupos de crianças e adolescentes nas últimas semanas. Meninas, algumas menores de 10 anos, praticaram arrastões contra lojas e pedestres. Um dos grupos levados para o Conselho Tutelar quebrou e depredou o local. Paralelamente, tramita na Câmara dos Deputados um novo projeto que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. Atualmente, por mais graves que sejam os crimes, adolescentes de 16 ou 17 anos não podem ser presos.

A PEC 57/2011, de autoria do deputado federal André Moura (PSC-SE), foi apresentada no começo de julho e está sendo analisada na Comissão de Constituição e Justiça da Casa. Ela foi apensada a outros projetos que já discutiam o tema. Moura diz que haverá pressão pela aprovação da medida. Segundo ele, a população quer a redução da maioridade penal. Em 2007, pesquisa encomendada pelo Senado Federal mostrou que quase 90% dos brasileiros defendiam a redução da maioridade penal para 16 anos.

Profissionais que atuam no atendimento às crianças e adolescentes, no entanto, são contrários. Segundo eles, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) já prevê mecanismos de responsabilização dos menores infratores.

A polêmica passa, necessariamente, pelo ECA. A Constituição Brasileira, no Artigo 228, determina que é a partir de 18 anos que as pessoas passam a responder inteiramente por seus atos. Antes disso, crianças e adolescentes que cometem crimes são julgados pelas Varas da Infância e da Adolescência, como manda o Estatuto.


Na prática, as "penas" do ECA vão da simples advertência até a internação em estabelecimentos educacionais. Em nenhuma hipótese, os jovens são levados para estabelecimentos penitenciários. Para o deputado, isso cria um sentimento de impunidade.

- Toda a semana vemos casos graves de adolescentes cometendo crimes em diferentes partes do Brasil. Isso tem aumentado - explica.

O parlamentar afirma que os crimes cometidos por adolescentes são mais "cruéis". Ele diz que a informação vem de "dados do Ministério da Justiça e Secretarias de Segurança".

- Converso muito com policiais e eles me relatam um desestímulo. Atendem ocorrências em que esses jovens estão armados. Muitas vezes há troca de tiros, os policiais correm riscos, mas conseguem prender o criminoso que já sai falando: 'sou de menor, sou de menor'.

O deputado diz que os investimentos em políticas públicas para a Saúde e Educação não podem ser 'usados' como desculpas para a manutenção da maioridade aos 18 anos.

- Sou um dos que mais defende o aumento de recursos para a Educação. Brigo mesmo. Mas não dá para esperar o mundo perfeito, completamente ideal para daí dizer: agora podemos prender os jovens que tomarem uma escolha errada. Enquanto isso tem gente sendo assassinada.

Moura diz acreditar na aprovação da PEC. Já para Ariel de Castro, presidente da Fundação Criança de São Bernardo do Campo e vice-presidente da Comissão Nacional da Criança e do Adolescente da OAB, a mudança da maioridade penal altera uma cláusula pétrea da Constituição:

- Não se pode tirar um direito adquirido sem a formação de uma Assembleia Constituinte.

De acordo com Ariel, é falsa a ideia de que não haja responsabilização para crianças e adolescentes que cometem crimes. A diferença, segundo ele, é que o Estatuto não prevê um caráter punitivo.



Existe a medida de restrição de liberdade. Mas a idéia é reeducar esse jovem. Colocar os adolescentes no sistema prisional, em que muitas penitenciárias estão tomadas por facções criminosas, só iria aumentar o problema da violência - diz.

A advogada criminalista Beatriz Rizzo concorda. Para ela, é preciso manter os dois sistemas separados.

- Encher os presídios de gente não vai melhorar - diz.

Para Ariel, o Estatuto da Criança e do Adolescente é uma legislação moderna e eficaz que, se fosse seguida à risca, diminuiria os índices de violência.

- Mesmo ainda com problemas no atendimento, os números da Fundação Casa (órgão que atende os menores que tenham cometido crimes em São Paulo) mostram que os índices de reincidência têm diminuído.

- Hoje é de 12% - afirma.

Fonte: http://oglobo.globo.com

domingo, outubro 23, 2011

Segurança Pública quer agentes socioeducativos em Betim

Atendendo a requerimento da deputada Maria Tereza Lara (PT), a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais visita, nesta segunda-feira (24/10/11), o subsecretário de Estado de Defesa Social, Ronaldo Araújo Pedron. A reunião está marcada para as 17h30, na Cidade Administrativa (Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº - Serra Verde - Edifício Minas - 3º andar). O objetivo da reunião é discutir a situação dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas na 2ª Delegacia de Polícia no Bairro PTB, em Betim.

De acordo com a deputada, as condições físicas da delegacia não são adequadas para abrigar os menores infratores. Mas como não é possível construir imediatamente um centro de internação no município, Maria Tereza Lara pretende solicitar ao subsecretário que sejam designados para a delegacia pelo menos quatro agentes socioeducativos para lidar com os adolescentes. Essa demanda, segundo a deputada, é manifestada pela própria delegada titular daquela unidade, Cristiane Ferreira Lopes. Atualmente os menores são vigiados por policiais civis.

Fonte: ALMG

Juiz põe fim a regalias de presos

Uma ala do Presídio Baldomero Cavalcante, em Alagoas foi extinta por determinação do juiz José Braga Neto, da Vara de Execuções Penais de Maceió. Segundo o magistrado, 11 presos eram tratados com regalias, com direito a quartos, a aparelhos eletrônicos e a comida especial. Além desses benefícios os detentos da ala extinta tinham as chaves das próprias celas, que eram equipadas com ventilador, TV, DVD e frigobar. Ainda de acordo com o juiz, o tratamento diferenciado provocava ciúmes em todo o sistema carcerário. No local, havia oito detentos já condenados pelos crimes de homicídio, latrocínio e roubo à mão armada. Três eram provisórios e ainda aguardavam julgamento. Nenhum deles tem nível superior, segundo o magistrado, que não soube explicar os motivos do tratamento especial. O juiz determinou que os detentos fossem transferidos imediatamente para celas comuns.

Fonte: http://www.otempo.com.br

Sindicalista denuncia agressão de policiais em BH

Líder dos guardas municipais alega que sofre perseguição desde que fez acusações contra o comando da corporação.
Leonardo Augusto
O presidente do Sindicato dos Guardas Municipais do Estado de Minas Gerais (Sindguardas), Pedro Ivo Bueno da Silva, denunciou ontem ter sido espancado e que vem sofrendo perseguição desde que fez acusações contra a cúpula da corporação em Belo Horizonte. Na capital, a Guarda Municipal é comandada por pelo menos 20 policiais militares reformados, que, segundo denúncias, estariam direcionando contratos, empregando parentes e usando escutas clandestinas para monitorar subordinados. As denúncias foram publicadas com exclusividade pelo Estado de Minas, há um mês, e estão sob investigação do Ministério Público estadual.

A agressão, conforme o boletim de ocorrência Ciad/P-20111377219, registrado na 26ª Companhia da Polícia Militar, em Contagem, onde Pedro Ivo mora, teria sido praticada por PMs na portaria da sede da 25ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp) na noite de terça-feira. O presidente do sindicato afirma ter sido levado para a Aisp pela própria PM, depois de desentendimento com dois guardas civis em frente à sua residência, no Bairro Eldorado.

Os colegas de corporação foram à casa de Pedro Ivo para tentar entregar documentação sobre processo administrativo ao qual o presidente do Sindguardas responde por utilização de redes sociais na internet e do blog que mantém para incitar colegas a “atos de rebeldia”. Na avaliação de Pedro, tratava-se de uma tentativa de intimidação. “Não foi a primeira vez que mandaram uma viatura para a porta da minha casa”, diz.

Depois de se recusar a receber os documentos, o guarda municipal acionou a PM. Pedro Ivo alegou constrangimento e pediu que fosse feito um boletim de ocorrência. Os policiais, então, conforme o presidente do Sindguardas, decidiram levá-lo para a Aisp. Na chegada houve bate-boca e Pedro Ivo foi algemado. Em seguida, o guarda municipal foi levado ao posto de atendimento médico JK, na cidade, de onde saiu com um colar imobilizador e uma tipoia. Pedro Ivo também apresentava escoriações no rosto.

No mesmo boletim de ocorrência, os policiais militares, liderados pelo cabo Marcelino Rosa da Silva, responsáveis pelo atendimento solicitado por Pedro Ivo, afirmam que, para vencer resistência apresentada pelo presidente do sindicato dos guardas municipais, foram usadas “técnicas policiais de contenção pautadas na utilização progressiva da força”. Os PMs dizem ainda que a decisão de imobilizar o guarda municipal ocorreu depois que Pedro Ivo desacatou ordem de parar uma filmagem que fazia enquanto estava na Aisp. O equipamento foi apreendido.

Apuração

O tenente-coronel Alberto Luiz Alves, da assessoria de comunicação da Polícia Militar, afirma que as acusações de agressão feitas pelo presidente do Sindguardas são graves, mas que precisam ser levadas à corregedoria da corporação para que sejam apuradas. “Não pode haver precipitação, achar, no momento, que tudo isso é verdade”, argumenta o militar.

O comandante da guarda municipal , Ricardo Belione, nega que a corporação esteja perseguindo Pedro Ivo. “Perseguição, no nosso conceito, acontece quando temos um flagrante a um criminoso, e não temos nenhum na guarda municipal. No caso do presidente do sindicato, há de se falar em resolução administrativa-disciplinar pelas faltas que vem cometendo”, afirma. Conforme Belione, um dos policiais militares reformados que ocupam a cúpula da guarda municipal, Pedro Ivo tem por hábito ofender superiores, se recusar a prestar serviço onde é requisitado e tentar fazer a própria escala de trabalho.
Foto: Pedro Ivo diz que primeiro houve uma tentativa de intimidá-lo
Fonte: http://www.em.com.br

Brasileiros a favor da pena de morte

Pesquisa CNI/Ibope sobre segurança feita em julho com duas mil pessoas em 141 cidades brasileiras e divulgada ontem mostra que é cada vez maior o número de cidadãos a favor da pena de morte, prisão perpétua e diminuição da maioridade penal. Em alguns casos, os entrevistados defendem até a violência policial.

Mesmo concordando com o uso de penas alternativas em casos de delitos leves, 83% dos entrevistados acreditam que penas mais severas reduziriam a criminalidade. A maioria reclama que a impunidade vem aumentando. Mais da metade, 51%, apoia totalmente a prisão perpétua, inexistente no Brasil. Um percentual significativo, 31%, defende a adoção da pena de morte e outros 15% acham que ela pode ser justificada em alguns casos.

O levantamento aponta que 80% dos brasileiros mudaram seus hábitos de vida no último ano por causa da violência.

Fonte: http://www.otempo.com.br/

sábado, outubro 22, 2011

Menores no trabalho

Dois adolescentes estariam empregados na empresa Império do Forro de Bolso
O Ministério Público do Trabalho (MPT) já obteve a confirmação de que ao menos dois adolescentes trabalhavam para a empresa têxtil pernambucana Império do Forro de Bolso, investigada por importar lixo hospitalar dos Estados Unidos. O órgão agora vai apurar se os dois menores tinham contato direto com o material - que, segundo alguns especialistas, pode transmitir doenças.

Segundo a procuradora do Trabalho Ana Carolina Ribemboim, as denúncias populares feitas à imprensa local foram confirmadas com uma simples consulta ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Insalubridade
Responsável pelo procedimento instaurado na última terça-feira, a procuradora destaca que a contratação dos menores, por si só, não representa uma irregularidade. Isso porque os dois adolescentes não têm menos de 16 anos - idade mínima para a contratação estabelecida na Constituição Federal. A legislação, contudo, proíbe que pessoas com menos de 18 anos trabalhem com atividades consideradas perigosas ou insalubres.

"A princípio, a contratação de jovens a partir de 16 anos não é uma irregularidade. O problema é a natureza do material com que esses adolescentes podiam estar lidando. Vamos aguardar a conclusão da perícia do materia -para saber se, de fato, ele oferece risco à saúde- e as informações do inquérito policial para estudar as providências necessárias", disse Ana Carolina em reportagem da Agência Brasil.

Fonte: http://www.otempo.com.br

CNI-Ibope: maioria quer redução da maioridade penal

Agência Estado
Ao menos quatro entre cinco brasileiros concordam com a redução da maioridade penal para 16 anos, revela a pesquisa "Retratos da Sociedade Brasileira: Segurança Pública" feita pelo Ibope e divulgada hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Mostram-se totalmente a favor da medida 75% dos entrevistados e parcialmente a favor, 11%. Os que são contrários total e parcialmente somam 9%.

"Os crimes praticados por menores é uma preocupação da população que também demanda ações mais severas nesses casos", afirma o documento. Além disso, os que acham que atribuição da responsabilidade penal somente a partir dos 18 anos incentiva a participação de menores de idade em crimes somam 83%, enquanto os que discordam são 9%.

Ao analisar os brasileiros a favor da redução da maioridade penal sob a perspectiva do nível de instrução, a pesquisa mostra que a concordância com a medida é generalizada - em todos os estratos os índices ficaram entre 73% e 76% que são totalmente a favor. O mesmo acontece na divisão por regiões, em todas a variação foi de 73% a 76%. As diferenças aparecem quando são levadas em consideração a questão da renda familiar e a idade do entrevistado.

Enquanto entre brasileiros com renda familiar de até dez salários mínimos, os que são totalmente a favor da redução da maioridade penal oscilam entre 70% e 77%, já entre aqueles ganham mais do que dez salários mínimos, o índice é de 63%. Na estratificação por idade, o maior porcentual aparece entre aqueles que estão nas faixas etárias de 25 a 29 anos (79%), 30 a 39 anos (também 79%) e de 50 anos ou mais (77%). Já entre os entrevistados que têm de 40 a 49 anos, 71% são totalmente a favor da medida, e entre os com 16 até 24 anos, esse índice é de 69%.

A pesquisa CNI-Ibope informa ainda que 70% dos entrevistados discordam que legalizar a venda e o uso da maconha reduzirá a criminalidade. Já para 23%, essa é uma medida positiva para a segurança pública. No entanto, a grande parte dos consultados (65%) concordam totalmente ou parcialmente que a proibição de venda de bebidas alcoólicas após a meia noite contribui para a queda no número de crimes. Um quarto (25%) tem opinião contrária. A pesquisa foi realizada entre os dias 28 e 31 de julho com eleitores de 16 anos ou mais. Foram realizadas 2.002 entrevistas em 141 municípios do País. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.
Fonte: http://www.em.com.br

Soldado do gate reage a assalto e mata bandido

Policial estacionava o carro, quando foi abordado por criminosos; dois deles também foram baleados
JAQUELINE ARAÚJO

jaqueline.araujo@supernoticia.com.br

Um soldado do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate) reagiu a uma tentativa de assalto, matou um bandido e feriu outros dois, na madrugada de ontem. O policial estacionava o carro em frente a um restaurante da Savassi, na região Centro - Sul de Belo Horizonte, onde ia jantar com familiares, quando foi abordado pelos suspeitos.

Na madrugada de ontem, um quarto integrante do grupo, identificado pela polícia como Everton Soares dos Santos, de 18 anos, acabou preso no bairro Confisco, na região da Pampulha. Ele e as vítimas foram ao Departamento de Investigações prestar depoimento.

De acordo com o comandante do Gate, tenente coronel Marcelo Correa, o soldado - que não teve o nome revelado, por questões de segurança - estava com os pais no cruzamento das ruas Santa Rita Durão com Rio Grande do Norte, quando os três foram abordados por quatro homens em duas motos.

Ao perceber o assalto, o pai do soldado teria reagido e acabou agredido por um dos suspeitos. Um dos criminosos sacou uma arma, mas acabou surpreendido pelo policial, que atirou contra eles. O pai do soldado sofreu algumas escoriações pelo corpo, mas passa bem.

Segundo a polícia, Joel Vitor Ferreira de Araújo, de 18 anos, levou um tiro e morreu no hospital. Já Filipe Mendes de Oliveira, de 20 anos, e Miqueias Naum Prates da Silva, de 20, também foram baleados e acabaram presos. Os quatro assaltantes tinham passagem pela polícia por furto e roubo, conforme a PM. Com eles, foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma pistola 380.
Fonte: http://www.otempo.com.br

sexta-feira, outubro 21, 2011

Comissão cobra respostas sobre assassinatos de policiais

Três assassinatos recentes cometidos contra agentes penitenciários mineiros estão praticamente esclarecidos. Diante das viúvas de Adeílton Martins Macedo (morto no dia 21/8), Ronaldo Miranda de Paula (26/8) e Marco Túlio Pereira (19/9), o chefe da Divisão de Crimes Contra a Vida, delegado Vagner Pinto Souza, informou que as investigações estão adiantadas e os autores dos crimes serão presos e apresentados em breve. O delegado mencionou outros casos solucionados de assassinatos contra servidores da segurança pública, atendendo ao objetivo da audiência pública realizada nesta quinta-feira (20/10/11) pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, requerida pelo deputado Sargento Rodrigues (PDT).

No início da reunião, o deputado apresentou uma lista de 148 servidores, entre policiais militares, policiais civis e agentes penitenciários, assassinados desde 2003. Ele cobrou das autoridades presentes respostas quanto à apuração dos crimes e à assistência dos familiares das vítimas. À estatística exibida pelo deputado podem ser acrescentadas outras 500 mortes, se considerado o período de 1970 a 2003, conforme o coordenador da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra), Luiz Gonzaga Ribeiro.

“Vemos uma ausência histórica da ação concreta do Estado na proteção dos servidores”, disse Gonzaga. De acordo com Sargento Rodrigues, o assassinato de um servidor da segurança pública significa o rompimento da última barreira de proteção da sociedade. “Não podemos mais ver nossos colegas serem mortos sem que haja uma resposta efetiva do Estado”, disse o parlamentar.

Essa resposta passa, segundo ele, pela captura dos criminosos, mas também pelo apoio às famílias dos servidores mortos. No caso dos três agentes, como mantinham contratos precários de trabalho com o Governo de Minas, ficaram totalmente desamparados, destacou Sargento Rodrigues. “As esposas estão abandonadas. Não receberam nem um telefonema do poder público, que sequer ofereceu auxílio para um enterro digno”, lamentou o deputado.

Agentes denunciam situação precária de trabalho

A situação dos agentes penitenciários, profissionais que fazem a guarda dos presos em penitenciárias e cadeias públicas, foi evidenciada na audiência pública. Apesar de terem apresentado números conflitantes, representantes da categoria estimam em 16 mil o total de agentes em exercício no Estado, sendo que somente cerca de 3 mil são concursados. Os demais, por serem contratados, perderiam a assistência em caso de morte ou afastamento por invalidez.

“Essa situação de contratos precários é inadmissível”, queixou-se Gonzaga. Mas o presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de Minas Gerais, José Maria Marques, disse que em dezembro deverá ser publicado um edital para a efetivação de 2 mil agentes. “É um dos cargos mais perigosos que existem. Recentemente morreram três agentes, mas vão morrer mais se o sistema penitenciário não for oficializado”, alertou o sindicalista.

Outra queixa frequente na reunião foi a proibição de os agentes penitenciários portarem armas de fogo. Segundo os profissionais que se alternaram no microfone, a arma é necessária para defesa do lado de fora dos presídios. Eles relataram que muitas vezes se deparam na rua com ex-detentos que vigiaram, o que representa uma ameaça para sua integridade e de suas famílias. Para o presidente da comissão, deputado Durval Ângelo (PT), as pessoas “responsáveis por cuidar da segurança da sociedade vivem em situação de insegurança, sem falar nos baixos salários, nos casos de assédio moral e na falta de condições de trabalho”.

O subsecretário de Estado de Administração Prisional, Murilo Andrade de Oliveira, falou da importância de se melhorar as condições de trabalho dos servidores da segurança pública e das melhorias alcançadas desde 2003. Porém, o deputado Sargento Rodrigues o criticou por não ter apresentado respostas efetivas para os problemas enfrentados pelos agentes. Oliveira respondeu então que anotou todos os casos relatados na audiência e garantiu que está à disposição de todas as famílias para que as devidas providências sejam tomadas.

Projeto cria programa de proteção a servidores ameaçados

O assessor de Inteligência da Polícia Militar de Minas Gerais, major Carlos Júnior Gonçalves, afirmou que a corporação possui uma comissão interna que estuda a formação de uma rede de proteção a policiais ameaçados. Esse assunto é objeto do Projeto de Lei (PL) 1.353/11, do deputado Durval Ângelo, que cria o Programa Estadual de Proteção, Auxílio e Assistência aos Policiais e Bombeiros Militares, Policiais Civis e Agentes Penitenciários. Seu objetivo é obrigar o Estado a fornecer proteção a esses profissionais que estejam em situação de risco ou cuja integridade física esteja sendo ameaçada em razão da natureza de suas atividades ou em função do local onde residem.

O projeto tramita em 1º turno na Comissão de Segurança Pública e tem como relator o deputado Sargento Rodrigues. Ele informou que seu parecer já está pronto e que espera ver a matéria na pauta da próxima reunião da comissão, marcada para a próxima terça-feira (25). A Comissão de Direitos Humanos aprovou requerimento do deputado pedindo que o presidente da Assembleia, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), coloque o projeto em votação o mais depressa possível, pois pretende vê-lo aprovado ainda neste ano.

Requerimentos - Outros requerimentos referentes ao tema da reunião foram aprovados. Do deputado Sargento Rodrigues, o pedido de envio de ofício às cúpulas da Polícia Civil e da PMMG solicitando informações sobre as investigações de mortes e ameaças contra servidores da segurança pública de Minas; do deputado Durval Ângelo, envio de ofício ao Governo do Estado pedindo a agilização da aposentadoria de um agente penitenciário baleado em abril de 2003 dentro de uma penitenciária e que hoje depende da ajuda de amigos e do dinheiro da mãe para sobreviver; e também de Durval Ângelo solicitando o envio das notas taquigráficas da audiência pública à Corregedoria da Secretaria de Defesa Social para que sejam tomadas providências com relação a todos os casos relatados na reunião.

Outros dois requerimentos da comissão foram aprovados: o primeiro pede a realização de uma audiência pública conjunta com a Comissão de Cultura para debater denúncia de violação do patrimônio histórico e artístico de Ouro Preto. E o segundo pede o encaminhamento ao Ministério Público de uma gravação em vídeo contendo imagens do vereador de Belo Horizonte Gêra Ornelas em um motel com uma adolescente.

Fonte:ALMG

Quinze anos e cinco mortes nas costas

Garota, que seria matadora do tráfico no Morro Vermelho, em Contagem, é apreendida sob a acusação de mais um assassinato

KARINA ALVES
falesuper@supernoticia.com.br

Ela tem apenas 15 anos, mas é suspeita de cometer pelo menos quatro assassinatos a sangue-frio em Contagem, na região metropolitana, segundo a polícia. Esse é o currículo criminoso de uma adolescente apreendida ontem, acusada de mais um homicídio. Segundo a polícia, ela atua como matadora e age a mando de traficantes de droga da vila Morro Vermelho, no bairro Petrolândia. Policiais afirmam que a garota usa o fato de ser menor para cometer os delitos e ficar em liberdade.

"Mesmo tão nova, ela já é braço-direito dos traficantes do Morro Vermelho. O que chama a nossa atenção é a disposição que ela tem para o crime. Quando tem alguém para matar, é ela quem faz o serviço. A comunidade tem medo de delatá-la porque ela sempre ameaçou quem a entregou", afirmou o delegado de plantão Acir Alves dos Santos, da 6ª Seccional de Contagem.

Na madrugada de ontem, a menor foi apreendida mais uma vez sob a acusação de ter matado uma jovem por vingança, no bairro Petrolândia. Gracielle Priscila Pereira Gonçalves, de 19 anos, foi assassinada em casa com dois tiros. O namorado da vítima e um primo da adolescente presenciaram o crime.

Segundo o delegado, eles relataram que a menor chegou ao local em um Chevette prata, junto com um comparsa. "Ela estava armada, pediu para chamar a Gracielle e atirou assim que viu a vítima", contou.

Policiais apuraram que a adolescente teria matado Gracielle para vingar a morte de um amigo, que teria sido morto pela vítima. No entanto, de acordo com informações preliminares da Polícia Civil, Gracielle não tinha antecedentes criminais.

A adolescente foi apreendida em casa, no Morro Vermelho, próximo ao bairro onde o crime ocorreu, mas o suspeito que estaria com ela e a suposta arma utilizada não foram encontrados. Ela negou o crime e o envolvimento com traficantes. A menor foi levada para a 6ª Delegacia Seccional de Contagem, de onde foi encaminhada ao Juizado da Infância e Juventude.

Crimes ainda em investigação

As investigações dos outros quatro assassinatos dos quais a adolescente é suspeita ainda estão em andamento. O delegado Acir Santos não quis detalhar os crimes para não atrapalhar as investigações. O maior problema para provar a participação dela nos delitos, segundo ele, são as testemunhas. "Várias pessoas viram os crimes mas têm medo de falar". Um dos assassinatos, segundo moradores da vila Morro Vermelho, aconteceu há cerca de um mês. Um jovem que saía de uma quadra de futebol no bairro Industrial São Luiz foi morto com vários tiros. O motivo do crime seria dívida com o tráfico. Ainda segundo o policial, as últimas apreensões da menor ocorreram por posse de arma e ameaça.



´Vou matar meu primo´, disse a menor
Na delegacia, a adolescente negou o crime e não se mostrou intimidada com a presença de policiais. "Não sou amiga de nenhum traficante e não tinha nada contra essa mulher que morreu. Ela foi morta por uma outra pessoa que estava ameaçando-a". A menor também chegou a dizer que mataria o primo. "Vou matá-lo. Ele me entregou", disse quando questionada sobre o parente.A mãe dela acredita na inocência da filha. "Ela estava na casa de uma vizinha vendo filme ontem à noite (anteontem). A polícia é que fica na cola dela", disse a mulher. O delegado Acir Santos diz que vai tomar medidas para conter a jovem. "Com mais esse assassinato, vamos tentar uma internação em Belo Horizonte. O grande problema é que as pessoas têm medo de denunciá-la. Assim, fica difícil conseguir provas contra ela". (KA)
Fonte: http://www.otempo.com.br

Meningite na penitenciária

Um caso de meningite foi identificado na Penitenciária Lemos Brito, de Salvador, na Bahia. Em nota a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap) informou que vai orientar os detentos, seus familiares, os agentes penitenciários e policiais militares sobre como evitar a contaminação. Além disso, os outros detentos estão sendo tratados com medicamentos preventivos.

A forma da doença diagnosticada no presidiário é a do tipo C, uma variação menos perigosa da meningite.

Fonte: http://www.otempo.com.br

Adolescente mata o pai

JAQUELINE ANDRADE
jaqueline.angrade@supernoticia.com.br

Revoltado com o pai que o teria proibido de namorar para que ele apenas trabalhasse, um adolescente de 16 anos resolveu matá-lo. Segundo a Polícia Militar, o rapaz atirou no lavrador Carlos Henrique Pinto, de 39 anos, e depois escondeu o corpo dele sob folhas de bananeira em uma plantação de café na zona rural da cidade de Andradas, no Sul de Minas.

O crime, que teria acontecido na última terça-feira, só foi descoberto, anteontem, após o adolescente confessar para a própria sogra que havia matado o pai. A mulher, então, avisou a família do rapaz, que acionou a polícia após encontrar o corpo do lavrador. O adolescente acabou apreendido e confessou o assassinato.

De acordo com a Polícia Militar, a família do lavrador registrou ocorrência do desaparecimento dele. Os militares informaram que o próprio adolescente chegou a ajudar os parentes a procurarem o pai pela cidade.

Em depoimento, o rapaz explicou que planejou o crime e usou um rifle calibre 22, que pertencia à vítima. A arma foi apreendida. Segundo o garoto, ele e o pai tiveram várias discussões porque Pinto não aceitava o namoro dele com uma vizinha e queria que ele trabalhasse.

A polícia informou que o adolescente admitiu para a sogra que esperou o lavrador passar em uma estrada de terra, quando seguia para o cafezal e atirou quatro vezes nele pelas costas. Depois, o jovem escondeu o corpo.

Enterro
O corpo do lavrador foi enterrado ontem no cemitério Municipal de São João do Boa Vista, cidade vizinha de Andradas, no Sul de Minas. Emocionada, a mulher do lavrador precisou ser amparada por parentes.
Fonte: http://www.otempo.com.br

Dentista é estuprada por adolescente

Mulher sofreu violência no próprio consultório; menor de 17 anos, conhecido da polícia, foi apreendido quando seguia para uma audiência no fórum da cidade.
KARINA ALVES

karina@otempo.com.br

Uma dentista de 23 anos foi estuprada dentro do próprio consultório na tarde de ontem em Varginha, no Sul de Minas. O suspeito de cometer o crime é um adolescente de 17 anos, que foi apreendido pouco depois do fato, em frente ao fórum da cidade.

A ousadia do rapaz chamou a atenção da Polícia Militar. De acordo com o capitão Afrânio Tadeu Garcia, o adolescente passou toda a manhã na sala de espera do consultório, entre outros pacientes, aguardando o momento de agir.

"Ele ficou sentado, se passando por paciente. O consultório estava cheio pela manhã, então ele esperou que ela atendesse todas as pessoas agendadas e invadiu a sala dela no horário do almoço, quando o movimento já havia diminuído", relatou o militar.

Segundo ele, a dentista contou que ele a rendeu com uma faca, amarrou as mãos dela para trás e procurou o que roubar na sala. Antes de ir embora, ele estuprou a dentista.

"O menor ainda machucou o pescoço dela com a faca e a ameaçou de morte. Ela disse a ele que lhe daria dinheiro e os dois saíram do consultório", contou o militar.

De acordo com ele, ao lado de fora, a dentista foi abordada por uma pessoa conhecida, que teria estranhado a situação ao perceber a expressão de espanto no rosto da vítima. O rapaz se assustou com a situação e fugiu.

A vítima chamou a polícia e passou as características do jovem, que já era conhecido da PM.

"Nós fomos informados de que ele teria uma audiência marcada na parte da tarde e montamos campana para apreendê-lo". Conforme o policial, o rapaz negou o crime. O consultório foi periciado e a jovem foi encaminhada para o pronto-socorro da cidade.


Menor já cometeu crimes


De acordo com informações repassadas pela Polícia Militar de Varginha, o adolescente apreendido já é conhecido na cidade.

"Ele é reincidente em estupro, já foi apreendido por furto de veículo e roubo", relatou o militar Afrânio Grarcia. Além da violência contra a dentista, o rapaz teria roubado ainda três celulares e uma folha de cheque, de valor não informado.

Na porta do Fórum, onde foi apreendido, ele participaria de uma audiência sobre um dos crimes citados pela PM.

O adolescente foi encaminhado para o plantão da delegacia regional da cidade na noite de ontem. (KA)
Fonte: http://www.otempo.com.br

Saiba por que ninguém foge dos presídios de segurança máxima no Brasil


Detentos ficam 22 horas em celas de 7 m² e paredes que suportam impacto de 300 kg

Wanderley Preite Sobrinho, do R7
Ao contrário das penitenciárias estaduais, ninguém foge dos presídios de segurança máxima no Brasil. O jeito encontrado pelo governo federal é polêmico e caro: cercar o prédio com policiais armados até com granada e isolar por 22 horas o preso de alta periculosidade em uma cela de 7 m².
Inspirado no modelo americano Supermax, esse sistema começou a valer no Brasil em 2006, no segundo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ao custo de R$ 1 bilhão, foram construídos quatro presídios (no Paraná, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Rio Grande do Norte) que, “desde a inauguração, nunca registraram fugas, rebeliões ou apreensões de drogas ou celulares”, segundo o Ministério da Justiça.

A massa carcerária de um presídio de segurança máxima é formada basicamente pelos maiores líderes do tráfico de drogas do Brasil, que dos presídios estaduais comandavam rebeliões por todo o país.

Apesar de eles voltarem para as detenções estaduais depois de 360 dias (renováveis pelo mesmo período se o juiz decidir), o ministério afirmou ao R7 que, desde que foram criadas, “as penitenciárias federais [...] reduziram as rebeliões e motins em estabelecimentos prisionais estaduais em 70%”.

A ex-procuradora do Estado de São Paulo e advogada especialista no assunto Beatriz Rizzo discorda do ministério ao dizer que “com certeza” não foram os presídios “que reduziram as rebeliões”.

- Rebeliões são reduzidas ou explodem em razão de outras políticas penitenciárias. Depende muito mais de quem é o secretário da Administração Penitenciária e qual é sua política, que reflete, por exemplo, em quem vai dirigir os presídios.

Fortaleza

Além de isolar os detentos o dia inteiro, a estrutura dos prédios de segurança máxima também é diferente das unidades estaduais. As paredes e os pisos, por exemplo, foram feitos para suportar impactos de até 300 kg. Para evitar resgates por helicóptero, cabos de aço cruzam todo o pátio. Até hoje, nem um telefone celular foi encontrado no interior de um presídio federal. O controle de entrada e saída de materiais do presídio é feito com detectores de metal e aparelhos de raios X, por onde passa até o lixo.
Foto: Vidal Cavalcante/Agência Estado/Cela de 7m² do complexo penitenciário de Catanduvas, o primeiro presídio federal de segurança máxima do país.
Fonte: http://noticias.r7.com

Adolescente é detido tentando entregar droga e celular a preso

Por Tiago Medeiros

Ele foi flagrado no momento em que tentava passar os objetos pelo muro do CDP.
Um adolescente foi detido na noite desta quarta-feira (28) em Macaíba, tentando entregar drogas e celulares para um dos presos do Centro de Detenção Provisório (CDP).

De acordo com policiais da delegacia de plantão zona Sul, por volta das 21h os agentes perceberam uma “teresa” no muro e ao se aproximarem, detiveram um adolescente de 17 anos tentando enviar para dentro do CDP 10 aparelhos celulares, nove carregadores, três chips, uma serra e três tabletes pequenos de maconha. O destinatário seria o preso Waliano Cruz Santos.

Detido, ele foi encaminhado para a delegacia de plantão zona Sul, onde foi autuado e entregue aos pais ainda naquela noite.


Fonte: http://www.nominuto.com/

Agente penitenciário negocia fuga de preso por R$ 10 mil no Baldomero

Preso condenado a 19 anos por homicídio qualificado tentou passar pela guarita como visitante com carteira de identificação falsa
Ana Márcia

O agente penitenciário contratado Valdemir Carvalho Ferreira, 45 anos está preso na Central de Polícia por tentar soltar um preso que cumpre pena de 19 anos, por homicídio qualificado no Presídio Baldomero Cavalcante ontem, em troca de R$ 10 mil. Ele vai responder por crime de corrupção passiva, previsto nos artigos 304 e 317 do Código Penal Brasileiro. A fuga foi impedia pelos agentes penitenciários plantonistas do sábado, 15 de outubro.

O reeducando José Márcio Freitas Vieira, 24 anos, negociou a sua liberação, adiantando R$ 5 mil. Segundo registros feito à Central de Polícia, sob a coordenação do delegado Roberto Lisboa, Márcio Freitas tentou se passar por visitante, utilizando uma carteira de identidade falsa: RG nº 32546873, pertencente a Marcos Almeida Vieira, expedida em 17.03.2004, quando foi abordado pelo agente penitenciário da guarita de segurança, qua acionou os demais colegas e a direção da unidade prisional.

Os próprios agentes penitenciários foram testemunhas da ocorrência, conduzindo Valdemir Carvalho Ferreira à Central de Polícia onde foi feita a prisão em flagrante. O caso será apurado pela 10ª Delegacia de Plantão.

O crime de corrupção passiva é atribuído a funcionário público quando: "solicitar ou receber, para si ou para outros, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem". A pena pode variar de 2 a 12 anos de prisão.

O preso José Márcio Freitas Vieira esteve preso também por ser pego em 2008 com armas, munições e drogas, no bairro do Bom Parto. À época havia acusações que ele integrava a quadrilha do traficante “Aranha”, um dos mais visados da capital. O líder do tráfico de drogas cumpre hoje pena no presídio federal de Catanduvas, no Paraná.

Fonte: http://www.tribunahoje.com

quinta-feira, outubro 20, 2011

Deputados defendem em Plenário reajuste para servidores

O deputado Sargento Rodrigues (PDT) apresentou questão de ordem nesta terça-feira (18/10/11) questionando a Assessoria de Imprensa da ALMG pela não divulgação do resultado da assembleia geral do Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (Sindalemg), na última semana, quando foi tratado o reajuste salarial dos funcionários. Além de Sargento Rodrigues, participaram da assembleia geral os deputados Duarte Bechir (PMN) e Rogério Correia (PT) e o deputado federal Weliton Prado (PT). A questão de ordem de Rodrigues foi apresentada na Reunião Ordinária de Plenário.

O deputado Sargento Rodrigues criticou o diretor de Comunicação Institucional, Lúcio Perez, por não ter determinado a divulgação, nos veículos de comunicação da ALMG, do resultado da assembleia geral. Ele disse que o diretor deve cumprir sua função, cobrindo os acontecimentos e tudo o que os deputados fazem. Ressaltou ainda que postura diferente foi adotada pela Assessoria de Imprensa ao cobrir reuniões envolvendo parlamentares e servidores da educação e policiais militares e bombeiros, por exemplo. Nestes casos, segundo Rodrigues, a Assessoria divulgou o resultado dos encontros.

Sargento Rodrigues finalizou a questão de ordem ponderando que deve ser dado um voto de confiança ao presidente Dinis Pinheiro (PSDB), que garantiu às lideranças dos servidores que o projeto de reajuste salarial será colocado em votação o mais breve possível. Diante do compromisso assumido pelo presidente, o parlamentar do PDT disse que não fará obstrução em Plenário esta semana para pressionar pela votação do reajuste, conforme anunciara anteriormente. O deputado Jayro Lessa (DEM), que presidia a Reunião Ordinária desta terça (18), também assegurou que o presidente Dinis Pinheiro é “uma pessoa de palavra” e cumprirá o compromisso.

Em outra questão de ordem, o deputado Durval Ângelo (PT) lembrou que os parlamentares votam projetos de todos os setores e os projetos do Legislativo “ficam para o final”. Além de cobrar agilidade na votação do projeto do reajuste salarial dos servidores da Assembleia, Durval Ângelo defendeu que o aumento teria de ser, no mínimo, de 13% a 14%, tendo em vista que o último reajuste foi há 18 meses. Para ele, a retroatividade a 1º de maio não corrige totalmente a injustiça, tendo em vista a inflação acumulada até agora.

Também em questão de ordem, manifestou apoio aos servidores da Assembleia o deputado João Leite (PSDB).
Fonte: ALMG

Resultado da 58ª Reunião Extraordinária - Audiência Pública




Quinta-feira 20 Outubro 2011, 09:00
Resultado: Matéria recebida e designação de relator: Projeto de Lei nº 2.099/11, em turno único (Deputado Paulo Lamac).

Aprovados os seguintes requerimentos dos Deputados:

Sargento Rodrigues (2), em que solicita sejam encaminhados ao Chefe da Polícia Civil e ao Comandante-Geral da Polícia Militar pedidos de informações com relação ao andamento das investigações sobre as mortes e ameaças contra os servidores da área de segurança pública, sobre a autoria, e os procedimentos investigatórios relacionados aos casos;

seja encaminhado ao Presidente desta Casa pedido de providências para que coloque em pauta o Projeto de Lei nº 1.353/2011, de autoria do Deputado Durval Ângelo, que dispõe sobre a proteção, o auxílio e a assistência aos policiais e bombeiros militares, policiais civil e agentes penitenciários do Estado;

Durval Ângelo (5), em que solicita seja realizada reunião conjunta de audiência pública desta Comissão e da Comissão de Cultura para obter esclarecimentos sobre denúncia de danos ao patrimônio histórico e cultural da cidade de Ouro Preto e sobre a violação de direitos fundamentais da população que reside e trabalha na rua São José, localizada no Centro Histórico do Município;

sejam encaminhados à Corregedoria da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social as notas taquigráficas desta reunião, os documentos que relatam denúncias de agentes penitenciários e pedido de informações sobre todos os casos de assédio moral e violação de direitos fundamentais neles relatados, para que a Comissão acompanhe os processos de apuração e providências que estão sendo tomadas a respeito;

sejam encaminhados a Presidência da Câmara Municipal de Belo Horizonte e a todos os vereadores desse Parlamento pedidos de providências para que procedam à abertura de processo por quebra de decoro contra o vereador Gêra Ornelas, considerando-se as denúncias supostamente gravadas pelo próprio parlamentar e citadas em reportagens de jornais mineiros, sobre possíveis crimes e comportamentos impróprios, inclusive com possíveis violações a direitos fundamentais de adolescente. Requer, ainda, que o citado vídeo seja encaminhado a todos os vereadores;

sejam encaminhados ao Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público Estadual e ao Chefe de Polícia Civil o vídeo entregue a esta Comissão, que registrou a suposta participação do vereador do Município de Belo Horizonte, Gêra Ornelas, em atos libidinosos com uma adolescente e pedido de providências para que colham os depoimentos dos assessores do referido parlamentar, Elisângela Venâncio e Francisco, conhecido como "Kadron";

seja encaminhado à Secretaria de Estado de Defesa Social o trecho das notas taquigráficas desta reunião, no qual se registrou a fala de Tomásia de Souza Rodrigues, reivindicando a regularização da aposentadoria de seu filho, o agente de segurança penitenciário Edinaldo Fernandes Rodrigues, tornado inválido em decorrência do exercício da profissão e pedido de providências para acelerar o referido processo de aposentadoria, que é direito a ser executado com urgência e de forma completa;

Reunião realizada com as seguintes presenças:

Major PM Carlos Gonçalves Júnior, membro da Diretoria de Inteligência da Polícia Militar de Minas Gerais, representando o Cel. PM Renato Vieira de Souza, Comandante-Geral;

Wagner Pinto de Souza, Delegado-Geral, Chefe da Divisão de Crimes Contra a Vida, representando Jairo Lellis Filho, Delegado-Geral e Chefe da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais;

Murilo Andrade de Oliveira, Subsecretário de Administração Prisional;

Cel. PM Edvaldo Piccinini Teixeira, Presidente do Clube dos Oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiro Militar do Estado de Minas Gerais;

Subten. PM Luiz Gonzaga Ribeiro, Coordenador da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais, representando o Subten. PM Raimundo Nonato Meneses Araújo, Presidente;

Zoé Ferreira Santos, Advogado da Associação dos Servidores do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar de Minas Gerais, representando o Sgt. BM Alexandre Rodrigues, Presidente;

Fábio Henrique Queiroz, Advogado do Centro Social dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros Militares de Minas Gerais, representando o Cb. BM Álvaro Rodrigues Coelho, Presidente;

Denilson Aparecido Martins, Presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil;

José Maria Marques, Presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de Minas Gerais;

Alessandra Escobar Vieira Wilke, Delegada da Polícia Civil de Minas Gerais;

Major PM Ailton Cirilo da Silva, Vice-Presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Minas Gerais;

André Luiz Teixeira Mourão, Superintendente de Segurança Prisional;

Alexandre Paulo Canella, Presidente do Sindicato dos Agentes Socioeducativos de Minas Gerais;

Cel PM James Ferreira Santos, Juiz do Tribunal de Justiça Militar de Minas Gerais.
Fonte: ALMG

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.