"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

quarta-feira, dezembro 01, 2010

Garota de 9 anos era estuprada todos os dias e obrigada a se ajoelhar em grãos de milho

Redação 24 Horas News
Uma menina de apenas nove anos vinha sendo violentada há mais de seis meses pelo padrasto. Além da violência sexual, a garota ainda minha sendo agredida, humilhada, sofria maus-tratos quando ficava de joelhos em grãos de milho e ainda era ameaçada de morte para não falar.
A violência foi descoberta pelo avô da menina, cujo pai morreu recentemente e ele ficou sob a guarda da mãe, mesmo com protestos da família de que ela não tinha competências e meio para cuidar da filha.
Ao tentar pegar a neta na casa onde ela estava morando, na Rua 24 do Jardim Vitória, na periferia de Cuiabá, o avô percebeu que a menina parecia muito nervosa, como se estivesse pedindo ajuda.
Ao levá-la para casa, o avô começou a perguntar se a menina estava bem, quando ela começou a chorar. Já mais calma, e garota começou a contar e a confirmar que vinha sendo usada sexualmente, praticam,ente todos os dias pelo padrasto, identificado apenas como André, de 25 anos.
A garota contou que todas às vezes que a mãe dela sai de casa, o padrasto a molestava sexualmente. Contou também, que durante à noite, quando a mãe dormia, o padrasto ia para o quarto dela para fazer sexo.
Segundo a pequena vítima, que já era obrigada a fazer sexo oral, o padrasto passava um óleo e fazia sexo anal. Ao tentar gritar, a menina tinha a boca tapada com as mãos e ainda era ameaçada de morte.
Desabafando pata o avô, a garota contou ainda que estava sendo espancada constantemente. Em determinadas vezes, para causar ainda mais terror, a menina era obrigada a se ajoelhar em grãos de milho.
Se você abrir a boca e contar eu vou te matar, dizia o padrasto à garota. A queixa-crime de estupro, maus-tratos e ameaças de morte foi registrada na Central de Ocorrência, mas o caso será investigado pela Delegacia de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), chefiada pela delegada Mara Rúbia. (RJT).
Fonte:http://legisbrasil.com.br Data:01/11/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.