"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

quinta-feira, janeiro 13, 2011

Estupro de adolescente era mentira

Vergonha. Esse é o sentimento que a dona de casa Maria Francisca da Silva expressa depois que a verdade veio à tona. A sobrinha de 15 anos fingiu ter ficado mais de 15 dias em uma cama sem poder se locomover e falar, após ter dito que sofreu abuso sexual no balneário Baiacu, na localidade de Pau D´arco, no município de Santa Bárbara, no dia 4 de novembro.
“Eu estou com vergonha de todos que, assim como eu acreditaram em toda essa história. Ela me fez de besta e a todo o pessoal do Conselho Tutelar de Santa Bárbara. Inventou essa história de estupro. Até os médicos da Santa Casa acreditaram que ela estava sem andar e falar por causa do trauma que teria sido muito forte. Eu estou com vergonha. Fiquei até doente por conta dessa menina”.
No dia 24 de novembro, a adolescente voltou a ser examinada na Santa Casa de Misericórdia a se manteve imóvel e sem falar, apenas escrevia em um caderno o que teria acontecido com ela. “Nós tínhamos que carregá-la e levá-la ao banheiro, recebia comida na boca”, relembrou a tia.
A mentira começou a ser descoberta no mesmo dia da consulta, à noite, quando a tia chegou em casa e não a viu no quarto. “Eu perguntei por ela e a minha filha disse que ela tinha saído de moto com um rapaz e uma mulher. Eles disseram que iam lanchar. Isso foi por volta das 20h e ela só reapareceu quase 23h30. Foi então que comecei a desconfiar que era tudo mentira. Ela começou a andar com dificuldade, mas ainda ficava sem falar.
Alguns dias depois a adolescente arrumou as sacolas e fez gestos de que iria embora. “Eu perguntei onde ela pensava que ia e ela continuou se fazendo de muda. Foi então que eu disse que ia ligar para o pessoal do conselho vir aqui em casa e levá-la para Santa Maria do Pará, onde os parentes da mãe dala moram. Foi então que ela se revoltou, arrastou as sacolas para o meio da rua e depois começou a gritar coisas horríveis para mim.
Disse que eu não era nada para ela e que ela fazia o que queria da vida dela. Eu quase morri nesse dia”, relembrou a tia.O resultado do laudo do IML, que ficou pronto na semana passada, constatou que a jovem não sofreu abuso sexual.

A HISTÓRIA


A adolescente contou que no dia 4 de novembro foi com quatro amigas, sendo uma adolescente, para o balneário “Baiacu”, onde conheceu José Luís Silva do Rosário - também conhecido como “Índio” - acusado de ter cometido o estupro. Ela contou que do balneário teriam ido para a casa do Índio, onde teria ocorrido o fato. “Chegando lá, me levaram para o quarto, fecharam a porta, abusaram de mim e tentaram me matar estrangulada”, disse a adolescente.


INQUÉRITO


Como a jovem só fez a ocorrência de estupro três dias depois, o acusado escapou de ser preso em flagrante. “Ele correu o risco de ser preso por uma coisa que não fez, mesmo assim o inquérito corre normalmente e será entregue à justiça que vai decidir se arquiva ou não”, contou a delegada de Santa Isabel, Maria Sálvia. (Diário do Pará)
Foto:A adolescente ficou 15 dias em uma cama, só se comunicando por escrito (Foto: Celso Rodrigues)

Fonte:http://www.diarioonline.com.br Data:Quinta-Feira, 09/12/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.