"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

sábado, maio 26, 2012

Polícia investiga indício de tortura em espancamento de adolescentes por seguranças de terminal

TV Vitória
Redação Folha Vitória
 
A polícia vai investigar indícios de tortura no caso dos adolescentes que foram espancados por seguranças do Terminal de Campo Grande, em Cariacica. Segundo o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), delegado Marcelo Nolasco, uma das vítimas prestou depoimento nesta sexta-feira (13).
“Temos fortes indícios de que não se tratou apenas de uma agressão, mas de um crime de tortura. O garoto apanhou para confessar um suposto delito”, comentou.
As imagens chocantes da agressão foram registradas por um passageiro na noite de quinta-feira (12) e divulgadas com exclusividade pela TV Vitória. Tudo teria começado com uma confusão em uma fila do terminal. De acordo com o homem que fez as imagens, os meninos começaram a brigar por causa de um boné. O homem, que não quis se identificar, disse que nenhum crime teria sido cometido.
Os seguranças levaram os dois garotos que foram colocados sentados em um banco. O cinegrafista amador se aproximou e flagrou o momento em que o segurança desferiu o primeiro soco contra um dos adolescentes. Em seguida, o homem se posicionou de pé em frente aos meninos e chutou um deles.
As vítimas até tentaram convencer o segurança a parar com a agressão, mas o homem ficou ainda mais violento e, com uma das mãos, apertou o pescoço do adolescente. Depois disso, vieram mais socos e ameaças. O menino disse que não fez nada e implorou para que o agressor parasse. Ele chorava e gritava ao mesmo tempo.
“A questão era apenas por causa de um boné. Parecia que um queria o boné e o outro também. Não houve nenhum delito por parte dos meninos. Como qualquer cidadão, eu imagino que não havia nenhum parâmetro que estabelecesse o direito de os vigilantes agredirem os meninos”, comentou o homem.
Na sequência das imagens é possível ver o momento em que outro segurança se aproximou e deu um chute no outro menor. Uma funcionária alertou ao segurança que iniciou a agressão que ele estava sendo filmado e, quando ele virou para o cinegrafista, um dos menores aproveitou para fugir. O terminal ainda estava bastante movimentado e muitos passageiros presenciaram a ação.
As pessoas seguiram atrás dele e, pouco tempo depois, o menino foi encontrado e carregado por outros funcionários. Três homens o seguraram pelas pernas e braços. A ação de violência só terminou quando alguns motoristas, cobradores e fiscais conversaram com o menor e entenderam o que realmente aconteceu.
Para o homem que flagrou a cena, tudo o que aconteceu foi uma covardia. “Uma sensação muito ruim. Chega a dar um nó no interior da pessoa porque você vê que a criança está ali indefesa. O menino não tinha como se defender pelo tamanho e pela postura dos vigilantes. Foi uma covardia”, lamentou a testemunha.
Depois de ver as cenas pela televisão, a mãe de um dos meninos foi à delegacia. “Fico me sentindo mal porque sou mãe e não posso bater. Como os outros podem? Cadê a Justiça?”, lamentou.
Um dos jovens agredidos contou com detalhes o tudo aconteceu. “Eles bateram bastante. Estou todo machucado e dolorido”.
A equipe de reportagem da TV Vitória foi até a sede da empresa responsável pela segurança do terminal, mas ninguém quis gravar entrevista. Por meio de nota, a empresa informou que lamenta o ocorrido e que a postura dos funcionários não condiz com o código de ética da empresa. A nota diz ainda que a empresa está apurando o caso e que vai tomar as medidas cabíveis contra os seguranças.
“Estamos oficiando o terminal para que forneça outras imagens que podem existir, bem como a identificação dos profissionais para que possamos dar início ao inquérito profissional”, finalizou o delegado.
As imagens da agressão foram mostradas à gerência de manutenção dos terminais da Companhia de Tranportes Urbanos da Grande Vitória, a Ceturb. “A Ceturb não compactua com esse tipo de ação dos vigilantes. A empresa vai ser advertida para responder porque eles agiram dessa forma. Ela não está orientada de forma nenhuma a agir dessa maneira, com essa agressão. A empresa é terceirizada. É a Transegur que presta serviço para a Ceturb. A empresa foi contratada para apaziguar os tumultos que acontecem no terminal e não ocasionar tumulto”, comentou Flávia Juliana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.