"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

quinta-feira, agosto 09, 2012

Preconceito de berço

Thinkstock

Volto a escrever depois de uma pequena interrupção necessária. Conforme já havia antecipado aqui neste espaço, minha filha nasceu. Passei este tempo aprendendo a lidar com uma pequena e suas necessidades, sempre difíceis de adivinhar, ainda mais para um pai de primeira viagem.
Depois de muita ansiedade, angústias e visitas a hospitais para decidir onde ela nasceria, Clarice veio ao mundo em uma maternidade na Avenida Paulista, o símbolo de uma cidade cada vez mais reacionária e proibida.
Mas não é este o tema. Não a cidade de São Paulo, muito menos minha paternidade. É sobre um assunto que já rolou nas redes sociais quando uma leitora escreveu a uma revista dedicada aos pais perguntando o porquê de só ter, nesta revista, crianças brancas.
Pois bem. Na maternidade que Clarice nasceu, em paredes estratégicas de corredores, tem enormes fotos de bebês com dias ou semanas de vida. São fotos alegres, sorridentes, que fazem com que o pai que perambula à noite pelos corredores imagine seu filho desta maneira, nestas poses e expressões.
Não pude deixar de perceber, nas fotos, um certo padrão. E não falo das poses e sorrisos cativantes, mas dos modelos. Todas, absolutamente todas, eram crianças brancas e de olhos azuis. Não havia uma de olhos escuros, de cabelo cacheado, uma descendente de japonês. Negro, então, nem pensar.
Pode-se alegar que é o padrão de beleza, que importamos isso dos escandinavos e dos eslavos. Pode-se dizer que a maternidade não faz assim propositadamente. Ambos podem ser verdades. Entretanto, ao repetir e propagar esses modelos, acriticamente, reforça, mesmo sem querer, preconceitos antigos e longevos.
Nas paredes da maternidade, em uma espécie de boas-vindas a pais e filhos, só havia lugar para crianças brancas e loiras. Em uma cidade que se pretende ser cosmopolita, que se acredita como uma Nova York do hemisfério sul, uma cidade feita por migrantes e imigrantes, aquelas paredes parecem dizer simbolicamente: aqui não é o seu lugar!
Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/blogs/on-the-rocks/preconceito-ber%C3%A7o-222513625.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.