"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

quinta-feira, fevereiro 23, 2012

Menores infratores são empregados no mercado formal em Piracicaba, SP

60% dos entrevistados estão empregados e têm carteira assinada.
Programa Seame, mantido pela Diocese, atende adolescentes e famílias.

Eduardo GuidiniDo
G1 Piracicaba e Região

Uma pesquisa feita por profissionais do Serviço de Apoio ao Adolescente com Medida Socioeducativa (Seame), criado pela Diocese de Piracicaba, no interior de São Paulo, mostra que 60% dos 100 menores infratores que foram entrevistados retornaram ao mercado formal de trabalho após recuperação social com a entidade que completa 31 anos em 2012. A instituição vem coletando dados dos pouco mais de 2,3 mil jovens já atendidos pelo projeto.

As atividades desenvolvidas pelos jovens que estão trabalhando variam entre os setores da indústria (17%), comércio (17%), prestação de serviços (32%) e construção civil (34%). Em relação à profissionalização, 24% dos entrevistados participaram ou fazem cursos profissionalizantes. Os dados mostram ainda que os 40% restantes dos adolescentes estão na informalidade do mercado de trabalho em Piracicaba, sem o registro na carteira de trabalho.

Segundo Dom Eduardo Koaik, fundador do projeto, o trabalho é feito sempre com certa dificuldade, já que os jovens são resistentes no início. "Não é fácil conseguir a presença deles no Seame, mas, depois, eles entendem o trabalho e tornam-se muito responsáveis. Este receio é apenas inicial", afirmou. A média de atendimento no Seame tem sido de 237 jovens nos últimos quatro anos, segundo informou a assessoria de imprensa da Diocese.

Ainda de acordo com o bispo emérito da Diocese de Piracicaba, a ação do Seame é pautada junto à família do menor infrator, com orientações psicológicas para ajudar na busca pela resolução do problema familiar. "É uma assistência permanente em parceria com os pais. Nossa missão é ajudar estes adolescentes a se corrigirem e a entrarem em uma vida de com muito mais responsabilidade", finalizou Koaik.
Pai e mãe
A mãe de um adolescente de 17 anos afirmou que o filho voltou a ser atendido novamente há um mês depois de um ano de ausência do Seame. "Na medida do possível, eu e o Seame tentamos trazê-lo para uma vida normal. Está sendo muito bom para ele, pois a entidade tem feito mais do que um pai e uma mãe fazem. É preciso que ele saiba aproveitar", disse a merendeira de 42 anos. Para ela, a expectativa é grande. "Hoje eu tenho mais força para lidar com a situação."

Além do filho que é atendido pelo Seame, a moradora do Jardim das Flores tem ainda outros cinco filhos para cuidar em parceria com o marido. "Esperamos que tudo acabe bem e que ele pare de correr atrás desses amigos que só trazem problema", afirmou. O filho foi detido pela polícia diversas vezes por envolvimento com o tráfico de drogas, além de porte de arma de fogo e de bombas caseiras.

Entidade
O Seame dá atendimento a adolescentes de 12 a 18 anos que são infratores ou considerados em situação de risco. A entidade tem vínculo com a Vara da Infância e Juventude de Piracicaba, que encaminha os menores sujeitos à medida socioeducativa de liberdade assistida, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

No período de 2000 até 2010, o Seame atendeu 2.362 adolescentes infratores. A equipe de atendimento do programa é formada por assistentes sociais e psicólogos, que tentam motivar o menor para que ele tenha uma melhor perspectiva de vida.

Atendimento
Em Piracicaba, desde 2010, o atendimento das medidas socioeducativas em meio aberto, com liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade, foi municipalizado. O Seame continua realizando o trabalho, agora em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) que recebe recursos dos govenos federal, estadual e municipal.


Fonte: http://g1.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.