"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

quinta-feira, março 01, 2012

Aulas suspensas por violência

Colégio é o mesmo onde a diretora apanhou de aluno, em agosto de 2011 .

IANE CHAVES
Especial para o Tempo

Cansados dos frequentes casos de violência ocorridos dentro da Escola Municipal Maria Silva Lucas, o Caic Laguna, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, professores, pais de alunos e comunidade da região resolveram fazer uma paralisação das aulas em protesto pela falta de segurança no local. Nos últimos dias a instituição foi invadida duas vezes por marginais, teve as paredes pichadas e salas depredadas. A escola é a mesma onde a diretora apanhou de um aluno, em agosto do ano passado.

Materiais didáticos foram destruídos, além de computadores e armários. Professores reclamam da falta de segurança para trabalhar. Em pleno horário de aula, virou rotina a invasão da escola por delinquentes que tomam conta do pátio e ameaçam quem pede para que eles se retirem.

Pais, alunos, professores resolveram se unir e pedir uma solução emergencial por parte da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Seduc). No encontro da comunidade realizado ontem na escola, nenhum representante do órgão esteve presente, embora tenham sido convidados.
"Diante dessa ausência, resolvemos ir amanhã (hoje) tentar falar com a prefeita Marília Campos para que ela resolva a nossa situação", disse o líder comunitário do Jardim Laguna, um dos bairros atendidos pela instituição, Eduardo Sendon.

Entre as reivindicações da direção da escola, estão a presença da Guarda Municipal em tempo integral no entorno do Caic e de um maior número de vigias dentro da instituição. Segundo a diretora, Maria Aparecida de Fátima, a ausência de vigilantes é o problema mais grave atualmente. "Trabalhamos o mês de fevereiro inteiro com uma baixa no quadro de agente escolar, que são os vigias. Isso propicia a ocorrência da violência na escola". Segundo ela, atualmente, são dois profissionais pela manhã, outros dois à noite e nenhum à tarde. "O ideal seria nove vigias. Três em cada turno". O centro educacional atende 1.600 alunos dos ensinos infantil e fundamental.

O clima de insegurança no cotidiano da escola faz com que alguns pais tenham receio de mandar os filhos para as salas de aula. Desde que a instituição foi invadida por vândalos, no feriado de Carnaval, o índice de faltas de estudantes tem aumentado. "Não fico tranquila quando minha filha vai para a aula. Ela não entra mais lá (Caic) enquanto não tiver segurança", disse a cabeleireira Cleitiene Madalena Alves, 30, mãe de Lidiane Iandra Silva, 9, que cursa o 3° ano - a 2° série do 2° ciclo.

Sobre a suspensão das aulas, a Seduc informou, por meio da assessoria, que não há diálogo com escola paralisada e que "haverá uma conversa quando as aulas forem retomadas".
Fonte: http://www.otempo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.