"Agentes de Segurança Socioeducativo ajudem ao SINDSISEMG a melhorar as condições do Sistema Socioeducativo, filiem-se, acessem e participem dessa conquista.

sexta-feira, outubro 28, 2011

Diretora sofre uma nova ameaça

Adolescente acusado de agredir educadora em Contagem volta ao colégio; mãe diz que filho sofre perseguição.

KARINA ALVES
falesuper@supernoticia.com.br


A diretora da Escola Municipal Maria Silva Lucas (Caic Laguna), em Contagem, na região metropolitana, Maria Aparecida de Fátima, que há dois meses foi ameaçada e agredida por um aluno de 15 anos que a chutou após ser repreendido na sala de aula, voltou a ser alvo do menor infrator. Ontem, o adolescente foi visto armado dentro da escola, acompanhado de outros dois rapazes.

Estudantes contaram que o menor - que já havia sido transferido do colégio e deveria estar cumprindo medida socioeducativa - foi ao colégio com a intenção de matar a diretora. Alertada, Maria Aparecida se escondeu numa sala. Denunciado, o menor chegou a ser levado pela Polícia Militar a uma delegacia, mas depois de cinco horas de depoimento voltou para a casa acompanhado da mãe.

A justificativa da Polícia Civil é que não houve provas em relação à denúncia feita por alunos e por uma professora que teriam testemunhado o momento em que o estudante invadiu o Caic Laguna. A arma não foi localizada. Os rapazes que estavam com o adolescente também não foram identificados.

O menor foi apreendido em casa. Com a ajuda da mãe, ele negou que tenha ido à escola. A câmera do circuito interno que poderia ter filmado a ação foi roubada, segundo a diretora Maria Aparecida. "Meu filho não saiu de casa hoje (ontem). Eu fui ao supermercado e ele ficou cuidando da irmã", disse a mãe Cristina Conceição Nunes, de 50 anos. Ela também foi à delegacia. No boletim de ocorrência da PM consta ainda que uma adolescente, prima do infrator, teria confirmado que ele estava armado.

O caso será investigado pela Divisão de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad) de Contagem, onde o estudante ficou internado por cinco dias em setembro, como pena por ter agredido a diretora, no dia 26 de agosto. Na ocasião, ele foi filmado pela câmera de um celular agredindo a diretora.

Internação
A internação provisória do adolescente, determinada pelo Juizado da Infância e Juventude, poderia durar até 45 dias, mas ele foi liberado cinco dias depois para cumprir medida socioeducativa. Na ocasião, o juiz Elias Charbil Abdou autorizou o cumprimento medida em regime aberto, por considerar que o menor estava arrependido.

Até à noite de ontem, nem a Promotoria da Infância nem a Justiça haviam sido notificadas sobre a nova ameaça feita pelo menor.

Apesar do arrependimento demonstrado ao juiz, o adolescente não vinha cumprindo a medida disciplinar de prestação de serviços na Prefeitura de Contagem. A alegação dada pela mãe é que a prefeitura fica longe da casa da família. "Conseguimos uma vaga para ele trabalhar em uma associação aqui do bairro. Ele começa amanhã (hoje)", disse a mãe.

Tensão
Na escola Caic-Laguna, o clima ontem foi de tensão entre os funcionários. Assustada, a diretora chorou muito com medo do garoto. "Fui surpreendida com a notícia de que o viram armado na quadra. Ainda estava tentando esquecer o que aconteceu, mas não sei se vou conseguir trabalhar ou se vou ser morta dentro da escola".

Funcionário detido
O funcionário da Prefeitura de Contagem, Carlos Eduardo Oliveira, estava na casa do garoto quando a polícia chegou ao local. Oliveira teria tentado impedir que o jovem fosse levado e acabou sendo detido por desacato à autoridade. Ele foi ouvido na delegacia e liberado. A assessoria da prefeitura informou que a visita do funcionário à casa do menor estava relacionada ao cumprimento da medida socioeducativa. "Houve uma discussão com o guarda, que não entendeu o papel do servidor lá", informou a assessoria. Representantes da Secretaria Municipal de Educação de Contagem estiveram a todo momento com o estudante, ontem, após a denúncia da nova ameaça.


Menor chama mãe de burra


Quando foi levado pela Polícia Militar, o adolescente foi agressivo e chegou a fazer gestos obscenos para os jornalistas. Irritado ao ver a mãe conversar com a imprensa, o adolescente a chamou de "burra", gritando na frente de todos.

Um policial do serviço de inteligência da PM, que pediu para não ser identificado, disse que o adolescente tem pulado o muro da escola para usar drogas e, frequentemente, é visto na casa de um traficante da região. "Conseguir uma arma e se livrar dela não seria difícil para ele", afirmou o policial. No histórico escolar do adolescente, aparecem ainda outras duas agressões envolvendo estudantes, além de três advertências por indisciplina.

Segundo a coordenadora municipal de Educação de Contagem, Maristela Ribeiro, o jovem frequentava as aulas e tinha bom comportamento na nova escola para onde foi transferido. "Ele está indo muito bem. Só faltou nos últimos quatro dias". A mãe o defendeu. "A escola era longe", afirmou. (KA/JS)
Fonte: http://www.otempo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é importante para nosso aperfeiçoamento e avaliação das demandas necessárias dos Agentes de Segurança Socioeducativos, contamos com a educação, o bom senso a o união de todos na construção de um sistema melhor e verdadeiramente eficiente.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

LEI DO PORTE DE ARMA PARA AGENTE

Vamos participar desta campanha para que nossa categoria tenha o porte de arma estabelecido em lei, não perca tempo.

Clik na imagem para participar

Os Agentes precisam dê seu voto

Os Agentes precisam dê seu voto
Participe da Petição Pública, clik na imagem acima.